A IDEOLOGIA DA NOVA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO CONTEXTO DA REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA

Roberto Leme Batista

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar a ideologia da nova educação profissional no contexto da reestruturação produtiva. A análise parte da crise estrutural do capital a partir da década de 1970, visando compreender a ofensiva do capital contra o trabalho com vistas à superação dessa crise. O estudo priorizou a reestruturação produtiva, como um dos componentes da ofensiva capitalista, com vistas a compreender como se processou o deslizamento da noção de qualificação para a de competências e, como se deu o processo de apropriação e adaptação da teoria do capital humano ao contexto do capitalismo global, na esfera das instituições multilaterais. Buscamos compreender como a reforma da educação na década de 1990, no Brasil, assimilou e adaptou esses pressupostos à educação profissional de nível técnico. Foram analisados diversos documentos e relatórios das instituições multilaterais e da Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Nacional de Educação (CNE). Além do que, o estudo baseou-se em literatura especializada sobre o tema. Conclui-se que a educação, sobretudo a profissional, proposta para o contexto da reestruturação produtiva tem por objetivo a constituição de um novo sujeito social palatável e útil ao capital que é o trabalhador flexível e adaptável às transformações organizacionais e técnicas do capitalismo global. 


Palavras-chave


Trabalho. Reestruturação produtiva. Educação profissional. Qualificação. Competências.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v6i2.13100

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.