TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO: AVANÇO NO PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO OU FENÔMENO DE ALIENAÇÃO?

Benedito Pinheiro Ferreira

Resumo


Este artigo busca contribuir com o debate sobre o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na educação escolar, sob a referência da pedagogia histórico-crítica. São destacados aspectos a serem levados em conta nesse debate, a partir da concepção de que a educação escolar representa um campo específico da luta de classes. Discutem-se as possibilidades de fetichização dessas tecnologias em um mundo onde o determinismo tecnológico faz parte do pensamento hegemônico, amplamente marcado pelas disputas de significados, e pelas pressões dos grupos hegemônicos para a produção e circulação de mercadorias. A partir da crítica a esse sentido hegemônico, enfatiza-se o potencial das TIC como elemento enriquecedor do trabalho educativo, sob a condição destas serem apropriadas de forma subordinada a fins autonomamente determinados, voltados ao processo de humanização do educando.


Palavras-chave


pedagogia histórico-crítica; tecnologias de informação e comunicação; determinismo tecnológico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v7i1.12434

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.