ORGANISMOS INTERNACIONAIS NO BRASIL E EM PORTUGAL: UMA (CON)FORMAÇÃO VOLTADA PARA O CAPITAL

Camila Azevedo Souza

Resumo


Este estudo analisa a atuação dos organismos internacionais no Brasil e em Portugal, tendo em vista as repercussões para as políticas educacionais nessas duas formações sociais concretas. Com base no método do materialismo histórico e, mais especificamente, nas formulações de Antonio Gramsci, busca-se evidenciar as relações de hegemonia que atravessam as diretrizes educacionais desses organismos, identificando em que medida a classe dominante reafirma e consolida a concepção burguesa de mundo em projetos educativos.

Palavras-chave: organismos internacionais; políticas educacionais brasileira e portuguesa; hegemonia


Palavras-chave


Tradição marxista; sociologia da educação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gmed.v6i1.10119

Direitos autorais 2018 Germinal: Marxismo e Educação em Debate

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Germinal: Marx. Educ. em Debate, Salvador - ISSN: 2175-5604.