DRAMATURGIA DA DANÇA: a inerência entre forma e sentido no movimento

Rosa Hercoles (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)

Resumo


Esse artigo, aqui apresentado no formato de carta, foi retirado da tese de doutorado defendida junto ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica (PUCSP), em 2005, sob o título: Formas de Comunicação no Corpo – novas cartas sobre a Dança. A seleção, dessa carta em especial, se deve ao fato de ter sido escrita para Jean- Georges Noverre (1727-1809), notável mestre de balé que solucionou a questão da ex- pressividade na dança, presente nas pesquisas coreográficas de seu tempo. Noverre se destaca, entre outros mestres também ocupados com a mesma questão, por entender que técnica e expressividade coabitam a composição da ação dramática no corpo que dança. Ao estudar a inerência entre habilidade técnica e potencialidade expressiva do movimento, Noverre dedica sua investigação artística aos aspectos comunicacionais da dança, fato que resultou numa grande revolução nos entendimentos vigentes, eviden- ciada na proposição do seu Balé de Ação, onde a equação técnica-expressividade se efetiva. Seu posicionamento crítico e político desestabilizam as dramaturgias institucionais imple- mentadas pelo Balé de Corte e pela Ópera-Balé. Os entendimentos de corpo, treinamento, movimento, coreografia e cena ganham outros contornos a partir de Noverre. 


Texto completo:

PDF


Dança: Revista do Programa de Pós-Graduação em Dança - ISSN: 2317-3777
Qualis 2013-2016: Artes (C); Comunicação e Informação (B5); Educação (C); Sociologia (B5).
 
Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.