DESAFIOS DA FORMAÇÃO DE PÚBLICOS NA DANÇA: DISCURSO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS CULTURAIS DA BAHIA

CAROLINA MAHECHA QUINTERO (PPGAC-UFBA)

Resumo


A configuração da nova cidadania tem demandado a formação de espectadores das artespor parte dos governos locais, como uma garantia dos direitos culturais. Tendo em contaque esta é uma temática de recente debate no âmbito local, assim como sua relação comcampos específicos da arte, como a dança, este artigo analisa o discurso dominante nos documentos oficiais de política cultural, para a promoção dos públicos da dança no Estado da Bahia, Brasil. Assim, em procura de compreender o panorama da relação público da dança e políticas públicas para a apropriação artística e cultural desta linguagem, realizase um estudo do discurso sobre a formação de públicos implícito em documentos como: Agenda XXI da Cultura; Lei Cultura Viva e Plano Nacional de Dança do Brasil; e Lei Orgânica da Cultura da Bahia. Como resultado desta análise, percebe-se a necessidade de gerar pesquisas qualitativas sobre o comportamento dos públicos que permitam compreender sua heterogeneidade, mas também os elementos para construção de um habitus cultural, dentro de uma ação política que articula a arte e a educação como estratégia principal para a formação de plateia.

Palavras-chave


Políticas Públicas Culturais; Dança; Formação de Públicos; Espectador

Texto completo:

PDF


Dança: Revista do Programa de Pós-Graduação em Dança - ISSN: 2317-3777
Qualis 2013-2016: Artes (C); Comunicação e Informação (B5); Educação (C); Sociologia (B5).
 
Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.