A formação de administradores nas linhas de montagem de ilusões: crítica da miséria intelectual nos cursos de Administração no Brasil

Thiago Martins Jorge, Valquíria Padilha

Resumo


Nesse ensaio, após uma investigação da sociedade capitalista e da burguesia brasileiras - que são demandantes da força de trabalho forjada nos cursos de Administração - passamos às críticas da miséria intelectual das teorias administrativas e dos cursos de formação de gestores no Brasil, os quais tem a finalidade de consolidar a hegemonia burguesa formando porta-vozes dos interesses do capital, desconsiderando completamente o processo histórico das análises. O que constatamos não é a busca do aprimoramento da compreensão científica do mundo, mas o seu obscurecimento. Argumentamos que tal falsificação do real transforma os cursos de Administração - com seus infinitos estudos de casos - em verdadeiras linhas de montagem de ilusões. Ilustramos nossa crítica com a análise da falsa harmonia na visão sistêmica de Ruben Bauer. Concluímos que, ainda que seja um contrassenso imaginar que esse quadro possa ser alterado sem profundas alterações nas macroestruturas da sociedade brasileira, a discussão metodológica não perde importância. Nas escolas de gestão, encontramos alunos e docentes dispostos a enfrentar essa miséria intelectual hegemônica com a necessária clareza epistemológica.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.