MAASTRICHT E O GERENCIAMENTO DA UNIÃO MONETÁRIA

CLÁUDIO GONTIJO

Resumo


Este artigo procura demonstrar que, em grande medida, a crise da dívida soberana da Europa é resultado do arranjo institucional de Maastricht, assim como das políticas perseguidas pela liderança europeia, formatadas a partir do “novo consenso macroeconômico” e da teoria da área econômica ótima. Em particular, sustenta que, em grande parte, a crise e seu aprofundamento resultaram do fato do Banco Central Europeu não ter desempenhado a função de emprestador de última instância, além da implantação de políticas e do ajustamento centrados no corte do gasto público e do aumento da tributação.
Palavras-chave: União Monetária Europeia. Euro. Acordo de Maastricht.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.