Imagem, nação e consciência nacional: os rituais da pintura histórica no século XIX

Walter Luiz Carneiro de Mattos Pereira

Resumo


A pintura histórica atraiu um vasto público aos salões em todo o mundo, sobretudo no século XIX. A partir de um ritual que tinha seus alicerces na Europa, em especial a França, procuramos realizar um encontro entre autores que percebem a produção e a recepção às imagens como um circuito social em que se impõem práticas que procuram estabelecer um código múltiplo em que o público perceba-se integrante da história, no contato com grandes telas, portadoras do sentido de uma comunidade nacional imaginada. No Brasil, essas imagens, encomendas oficiais que se reportavam a “história pátria”, em especial depois da Guerra do Paraguai, tornavam-se parte desse ritual da história que consagrava a arte como culto cívico à nação.

Palavras-chave


Arte / Pintura Histórica / Exposições

Texto completo:

PDF


Cultura Visual

ISSN 2175-084X (versão eletrônica) ISSN 1516-893X (versão impressa)
Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia
Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV)
R. Araújo Pinho 212, Canela, Salvador-Bahia-Brasil, 40110-150
Tel.: (71) 3283-7923 Fax: (71) 3283-7916
Email: mesarte@ufba.br