Os limites da rua: uma discussão sobre regulação, tensão e dissidência das atividades culturais nos espaços públicos do Rio de Janeiro

Flávia Magalhães Barroso, Cíntia Sanmartin Fernandes

Resumo


Buscamos refletir sobre os processos de regulação da cultura de rua no Rio de Janeiro. Os espaços privados são, em sua maioria, altamente submetidos à vigilância e por isso, tendem a se ajustar de formas mais intensa às políticas de censura e regulação. A rua, por sua vez, é espaço difuso e fragmentado, de difícil apreensão e controle, por onde são forjadas práticas que desafiam a estrutura vigilante da cultura. O controle das práticas culturais de rua apresenta, nesse sentido, dificuldades específicas vinculadas ao ethos da rua que se refere aos nomadismos, às práticas criativas e à coletividade. Para tanto, discutiremos a legislação dos eventos de rua na cidade do Rio de Janeiro, as novas proposições de regulação e as práticas dissensuais que se apresentam na contramão desse cenário de enrijecimento no controle das práticas culturais de rua na cidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v11i1.26706


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional.