As narrativas identitárias produzidas nas políticas culturais da Região das Missões Jesuítico-Guaranis do Brasil: uma crítica ao essencialismo cultural

Muriel Pinto

Resumo


O artigo analisa a produção de narrativas identitárias acerca do “gaúcho missioneiro” no Rio Grande do Sul, Brasil no contexto pós Estado Novo. Esta discussão foi possível a partir do estudo das políticas públicas culturais da Região das Missões Jesuítica-Guarani, procurando caracterizar as estratégias discursivas de tais políticas na fixação e legitimação da identidade cultural regional. A análise demonstra como as políticas culturais se constituem como elemento estratégico no processo de naturalização e fixação da identidade cultural, no caso, Missioneira. Posiciona a crítica a essa visão sobre cultura e propõe ressignificar essas narrativas identitárias a partir da dinâmica do hibridismo cultural. Trata-se de desconstruir a ideia de autenticidade cultural e demonstrar como as identidades são narradas e criadas a partir de posicionamentos políticos e relações de poder.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v11i1.25326


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional.