(Des)conjunturas das Políticas Setoriais para a Dança: uma análise do papel da FUNARTE e do Edital Klauss Vianna

Lúcia Matos

Resumo


O tema da institucionalização das políticas culturais no Brasil passa a ser discutido a partir dos anos de 1930, com ações direcionadas para algumas linguagens artísticas. A área da dança só passa a ser abordada nas políticas culturais federais após a criação da FUNARTE, em 1975, mas ainda de modo incipiente. Este artigo apresenta uma contextualização sobre as políticas setoriais para a dança no âmbito federal, a partir de 2003, situando a estruturação dessas políticas na FUNARTE. Além disso, analisa indicadores do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, presentes no relatório “Editais de Fomento 2006-2015” (BRASIL, 2016), relacionando-o com perspectivas apontadas pelos indivíduos participantes da pesquisa “Mapeamento da Dança” (MATOS e NUSSBAUMER, 2016), sobre os editais federais para o setor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v10i2.24292


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional.