Jogos digitais: um breve panorama deste segmento na Bahia e possibilidades de políticas

Carmen Lucia Castro Lima, Lynn Rosalina Gama Alves

Resumo


Os jogos digitais no Brasil estiveram em um não lugar no que se refere a cultura até início do século XX, quando ações desenvolvidas em 2003 pelo Ministro da Cultura Gilberto Gil, que iniciou a abertura para que os estes artefatos tecnológicos fossem incluídos entre os produtos da economia criativa, assim compreendendo-os como uma linguagem também cultural, o presente artigo tem o objetivo de apresentar um panorama da produção de jogos digitais na Bahia, a luz da economia criativa, e as possibilidades de política pública. Para tanto, serão apresentados os principais marcos da evolução deste segmento, desenhando o cenário atual do ecossistema de Games na Bahia. Os resultados desta análise ratificam as necessidades de outros segmentos artísticos e culturais que exigem maior investimento em formação tanto técnica como de gestão dos agentes que atuam na área e a sensibilização dos atores públicos e empresariais privados sobre a importância econômica e social dessa atividade, com intuito de consolidar o segmento no estado da Bahia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v10i2.23644


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional.