Do confraternal ao profissional: periferização urbana e os empreendedores de diversão no circuito de aparelhagens em Belém, Pará

Fernando de Jesus Rodrigues

Resumo


Pretendo, neste texto, representar transformações de estruturas sociais, vinculadas ao aparecimento de negócios de diversão sob o formato das Aparelhagens e ao surgimento de gêneros musical-dançantes nas “periferias” de Belém. Analiso alterações nas balanças de poderes entre grupos, expressas na trajetória de um DJ e proprietário de uma das mais antigas aparelhagens. Proponho, com uma perspectiva figuracional e processual, conexões entre fenômenos expressos em condutas com motivações de divertimento, de ganho monetário e de disputas por mercados consumidores de cultura. Elaborou-se encadeamentos entre informações, evidenciando relações entre: 1) as lógicas mercantil e confraternal de serviços de diversão, presentes em circuitos de aparelhagens e 3) suas interdependências com redes ampliadas de comunicação e entretenimento, vinculadas a economias nacionais e internacionais do entretenimento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/pcr.v9i2.17710


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 4.0 Internacional.