A Evolução dos Institutos de Ciência e Tecnologia e seus Núcleos de Inovação Tecnológicas no Brasil

Edson Lauro Marchini, Marcelo Farid Pereira

Resumo


Com a publicação da Lei de Inovação em 2004, reiterada em 2016 pelo Marco Legal da Inovação, as Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) e os seus Núcleos de Inovação Tecnológicas (NITs) têm sido cada vez mais representativos nos processos e nas demandas das políticas de inovação pelo país, contribuindo, assim, para o crescimento socioeconômico da Ciência e Tecnologia. Esta pesquisa tem como objetivo conhecer a evolução das ICTs e de seus NITs, suas naturezas jurídicas, disposições por regiões e recursos econômicos obtidos com contratos de tecnologia no âmbito nacional. Para atingir o proposto, foi realizada uma pesquisa qualitativa e exploratória, na qual foram extraídos dados de relatórios Formict. Os resultados apresentam uma visão geral das instituições e destacam uma participação tímida das instituições na exploração dos recursos com contratos de tecnologia. Conclui-se que as Instituições necessitam ampliar suas atuações com a exploração dos recursos disponíveis na proteção intelectual.


Palavras-chave


Contratos de Tecnologia. Formict. Propriedade Intelectual.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Câmara dos Deputados. Centro de Documentação e Informação. Brasília, DF. Janeiro, 2004.

BRASIL. Lei n. 13.243, de 11 de janeiro de 2016. Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF. Janeiro, 2016.

CALMANOVICI, Carlos Eduardo. A inovação, a competitividade e a projeção mundial das empresas. Revista USP, São Paulo, n. 89, p. 190-203, março/maio, 2011.

DE NEGRI, F.; SQUEFF, F. H. S. Sistemas setoriais de inovação e infraestrutura de pesquisa no Brasil. IPEA-FINEP-CNPq. Brasília, 2016.

FORTEC. PROFNIT – Mestrado Profissional. Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia e Inovação Conceitos e Aplicações de Transferência de Tecnologia. TT aula 10. 2018a.

FORTEC. Pesquisa Fortec de Inovação. Políticas e Atividades de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia. Relatório Ano Base 2017. Rio de Janeiro, 2018b. Disponível em: http://fortec.org.br/wp-content/uploads/2019/05/Relat%C3%B3rio_anual_Ano_Base_2017.pdf. Acesso em: 22 dez. 2019.

GOMES, Myller Augusto Santos. COELHO, Tainá Terezinha. GONÇALO, Cláudio Reis. Tríplice Hélice: a Relação Universidade-Empresa em Busca da Inovação. Revista Gestão. Org, Pernambuco, PE, v. 12, n. 1, p 70-79, 2014.

KRUGLIANSKAS, Isak. PEREIRA, José Matias. Um enfoque sobre a Lei de Inovação Tecnológica do Brasil. RAP, Rio de Janeiro, v. 39, n. 5, p. 1.011-1.029, set./out., 2005.

MACHADO, Hilka Pelizza Vier; SARTORI, Rejane; CRUBELLATE, João Marcelo. Institucionalização de Núcleos De Inovação Tecnológica em Instituições de Ciência e Tecnologia da Região Sul do Brasil. REAd., Porto Alegre, v. 23, n. 3, p. 5-31, set./dez., 2017.

MAGALHÃES CORREIA, A. M.; GOMES, M. L. B. Habitats de Inovação na Economia do Conhecimento: Identificando Ações De Sucesso. RAI: Revista de Administração e Inovação, [S.l.], v. 9, n. 2, p. 32-54, 2012.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2009. Relatório Consolidado Ano Base 2009. Brasília, outubro de 2010. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2009.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2010. Relatório Consolidado Ano Base 2010. Brasília, agosto de 2011. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2010.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2011. Relatório Consolidado Ano Base 2011. Brasília, 2012. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2011.pdf. Acesso em: 30 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2012. Relatório Consolidado Ano Base 2012. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2012.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2013. Relatório Consolidado Ano Base 2013. Brasília, 2014. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2013.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2014. Relatório Consolidado Ano Base 2014. Brasília, 2015. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2014.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E COMUNICAÇÕES. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2015. Relatório Consolidado Ano Base 2015. Brasília, 2016. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2015.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E COMUNICAÇÕES. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2016. Relatório Consolidado Ano Base 2016. Brasília, 2018. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2016.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E COMUNICAÇÕES. Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil: Relatório FORMICT 2017. Relatório Consolidado Ano Base 2017. Brasília, 2019. Disponível em: http://www.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/propriedade_intelectual/arquivos/Relatorio-Consolidado-Ano-Base-2017.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

PIRES, Edilson Araújo; ANDRADE, Rafael; QUINTELLA, Cristina M. Como as organizações de fomento à pesquisa e à inovação têm apoiado a criação e consolidação dos núcleos de inovação tecnológica? Uma análise dos editais federais de apoio à transferência de tecnologia e à propriedade intelectual no brasil. Caderno de Prospecção, Salvador, BA, v. 10, n. 3 p. 462-478, jul./set., 2017.

RAUEN, Cristiane Vianna. O Novo Marco Legal da Inovação no Brasil: o que muda na Relação ICT-Empresa? Radar, [S.l.], v. 43, p. 21-35, 2016. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/radar/temas/industria/252-radar-n-43-o-novo-marco-legal-da-inovacao-no-brasil-o-que-muda-na-relacao-ict-empresa. Acesso em: 18 jun. 2019.

RODRIGUES JUNIOR, José Maciel et al. Produção do Conhecimento Tecnológico na UFMG. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, MG, v. 5, n. 2, p. 231-242, jul/dez., 2000.

SARTORI, Rejane et al. Panorama da Estrutura Científica e Tecnológica de Inovação do Estado do Paraná. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE, Salvador, BA, Ano XIX, v. 3,n. 38, p. 315-344, dezembro de 2017.

SCHUMPETER, Joseph A. A Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucro, capital, crédito, juros e o ciclo econômico. São Paulo, SP: Abril Cultural, 1982.

SETI – SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. Manual do usuário da UGF. Curitiba, PR, 2009. Disponível em: http://www.seti.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2019-08/manual_do_usuario_ugf_2009.doc. Acesso em: 5 jul. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i5%20Especial.32804

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)