PESQUISA EXPLORATÓRIA DAS PATENTES DE MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIA CHAGASI

Carolina Carvalho dos Santos Lira, Ana Carolina Pontes de Miranda Maranhão, Tatiane Luciano Balliano, João Inácio Soletti, Pierre Barnabé Escodro

Resumo


A Leishmaniose Visceral é uma zoonose causada pelo protozoário Leishmania infantum chagasi e está presente em regiões tropicais do mundo todo. Essa doença é transmitida por um mosquito flebótomo e apresenta-se principalmente em áreas de agrupamentos humanos e em populações subdesenvolvidas, embora possa apresentar-se tanto em zonas rurais quanto peri-urbanas. O diagnóstico da Leishmaniose Visceral dá-se principalmente por exames sorológicos, porém alguns países vêm desenvolvendo os próprios métodos de diagnóstico e patenteando essas descobertas. O objetivo deste trabalho foi fazer uma pesquisa exploratória das patentes destes métodos de diagnóstico, bem como descrever os principais países que buscam novas formas de diagnosticar e erradicar essa doença de sua população.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A. B. P. F. Inquérito soroepidemiológico e caracterização da leishmaniose canina por PCR-RFLP em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. 2009, 67p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias). Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá. 2009. Acesso em 01/06/2018.

CALDAS A.J.M, et al. Infecção por Leishmania (Leishmania) chagasi em crianças de uma área endêmica de leishmaniose visceral americana na ilha de São Luis-MA, Brasil Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 34(5): 445-451, set-out, 2001. Acesso em 08/07/2018

FREIRE ML. Avaliação de desempenho e custos diretos de kits comercialmente disponíveis no Brasil e do protótipo DAT-LPC para o diagnóstico da leishmaniose visceral humana. (Dissertação de Mestrado) – Programa de Pós -Graduação em Ciências da Saúde do Centro de Pesquisas René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz, Belo Horizonte, 2017. Acesso em 06/07/2018

GAMA, et al. Avaliação do nível de conhecimento que populações residentes em áreas endêmicas têm sobre leishmaniose visceral, Estado do Maranhão, Brasil. Cad Saúde Pública 1998; 14:381-90. Acesso em 29/05/2018.

GONTIJO, C. M. F.; MELO, M. N. Leishmaniose visceral no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 7, n. 3, p. 338-349, 2004. Acesso em 29/05/2018

MAIA-ELKHOURY AN, et al. Visceral leishmaniasis in Brazil: trends and challenges. Cad Saude Publica 2008;24:2941-2947. Acesso em 29/05/2018.

MARZOCHI MAC, MARZOCHI KBF. Tegumentary and visceral leishmaniases in Brazil. Emerging anthropozoonosis and possibilities for their control. Cad. Saúde Pública 1994; 10:359- 375. 2017. Acesso em 07/07/2018.

MOREIRA MA, LUVIZOTTO MC, GARCIA JF, CORBETT CE, LAURENTI MD. Comparison of parasitological, immunological and molecular methods for the diagnosis of Leishmaniasis in dogs with different clinical signs. Vet. Parasitol., v. 145, n. 3-4, p. 245-252, 2007. Acesso em 07/07/2018.

QUEIROZ NMGP, ASSIS J, OLIVEIRA TMFS, MACHADO RZ, NUNES CM, BUZETTI WAS. Diagnóstico da leishmaniose visceral canina pelas técnicas de imunohistoquímica e PCR em tecidos cutâneos em associação com a RIFI e ELISA-teste. Rev. Bras. Parasitol. Vet., v. 19, n. 1, p. 34-40, 2010. Acesso em 07/07/2018.

SANTOS SO, ARIAS J, RIBEIRO AA, DE PAIVA HOFFMANN M, DE FREITAS RA, MALACCO MA. Incrimination of Lutzomyia cruzi as a vector of American visceral leishmaniasis. Med Vet Entomol 1998; 12: 315-7. Acesso em 01/06/2018.

SOUSA, TC, FRANCISCO AKPR, SANTOS BS. Leishmaniose Canina em Brasília, DF: Uma Revisão da Literatura. Tempus actas de saúde colet. Brasília, 9(3), 187-202, set, 2015. Acesso em 07/07/2018.

SOUSA ZFD. Diagnóstico da Leishmaniose visceral em áreas rurais, endêmicas e não endêmicas, utilizando um teste imunocromatográfico recombinante K39, no período de 2004 a 2006. 2007. 142 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Tropical) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2007. Acesso em 07/07/2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The world health report 2001. Geneva; 2001. Acesso em 28/05/2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Control of the Leishmaniases. Report of a meeting of the WHO Expert Committee on the Control of Leishmaniases. Geneva: World Health Organization; 2010. Acesso em 28/05/2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i5.27309

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)