Potencial do Município de Maringá para instalação de um parque tecnológico com ênfase em biotecnologia

Mary Pilly Durán Canedo Gomes, Patrícia de Carvalho Kimura, Fernanda Paula Manosso, Renan Montrezol Rejani, Marcelo Farid Pereira

Resumo


Parques tecnológicos têm sido reconhecidos como instrumentos de integração de múltiplos atores, instituições e atividades relacionadas à promoção da cultura da inovação e competitividade de empresas. Entretanto, para a instalação desses empreendimentos é necessário que a região apresente condições mínimas de viabilidade. Desta forma, esttrabalho teve por objetivo analisar as vocações locais do Município de Maringá - PR para sediar um parque tecnológico com ênfase em biotecnologia. Considerando a temática proposta, optou-se por uma pesquisa bibliográfica, qualitativa e descritiva. Os resultados
alcançados apontam que, embora exista sinergia entre distintos atores e potencial de fatores-chave em prol do desenvolvimento do território maringaense, ainda nos parece precária e inexpressiva a quantidade de empresas biotecnológicas na região para convergir na instalação de tamanho empreendimento.

Palavras-chave: Parques tecnológicos. Inovação tecnológica. Interação
Universidade-Empresa-Governo.


Texto completo:

PDF

Referências


ACIM. Associação Comercial e Empresarial de Maringá. Associativismo . Disponível em:

. Acesso em: 22 de junho 2018.

ANPROTEC. Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos

Inovadores. Parques tecnológicos no Brasil – Estudo, análise e proposições , 2008.

Disponível em: .

Acesso em: 10 de junho 2018.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO. Ranking - Todo o Brasil. Disponível em:

< http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?cnes/cnv/leiintbr.def >Acesso em: 28 maio.2018.

BALBI, Renato Vieira; Emmendoerfer, Magnus Luiz; Lima, Afonso Augusto Teixeira de

Freitas de Carvalho; Valadares, Josiel Lopes. Cultura Empreendedora: O Que está sendo

Produzido na Administração? . ENANPAD. São Paulo, 2009. p. 1.

BARREIRO, Elis Regina Neves; RAMALHO, Ângela Maria Cavalcanti. A importância dos

PCTs para o desenvolvimento local e territorial: a experiência do Parque Tecnológico da

Paraíba. Revista Política e Planejamento Regional , Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 19-38, jun.

Disponível em:

vimento-Local-e-Territorial-A-Experiencia-do-Parque-Tecnologico-da-Paraiba.pdf>. Acesso

em: 25 abr. 2018.

CARIONI, Leandro. O que é um parque tecnológico?. CERTI Insights , 2017. Disponível

em: http://www.insights.certi.org.br/parque-tecnologico/. Acesso em: 10 junho 2018.

CASTELLS, Manuel; HALL, Peter. Technopoles of the World. The making of 21st

Industrial Complexes . Routledge: London, 1994.

CISNE, Caroline Santos de. Competitividade sistêmica: conhecimento como fator de

produção de capital social para o desenvolvimento local . 2015. 117 f. Dissertação

(Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento). Programa de Pós-Graduação em

Engenharia e Gestão do Conhecimento. Universidade Federal de Santa Catarina,

Florianópolis, 2015. Disponível em:

Allowed=y>. Acesso em: 17 maio 2018.

CODEM. Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá. Institucional . Disponível

em: . Acesso em: 22 de junho de 2018.

CRUZ, Franciane Cougo da; et al. Tríplice Hélice na Região da Campanha: um ensaio teórico

como fator estratégico de inovação e desenvolvimento. FACEF Pesquisa: Desenvolvimento

e Gestão , v. 16, n. 3, p. 281-300, 2013.

DATASUS. Departamento de Informática do SUS. CNES - Recursos Físicos - Hospitalar -

Leitos de internação. Brasil, 2016. Disponível em:

< http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?cnes/cnv/leiintbr.def >. Acesso em: 28 maio.2018.

DEL NERO, Patrícia Aurélia. Biotecnologia: análise crítica do marco jurídico regulatório.

São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

DIAS, Fagundes, Rodinei; CARVALHO, Aragão, Alberto. Bioeconomia no Brasil e no

Mundo: Panorama Atual e Perspectivas. Revista Virtual Química – RAQ , v. 9, n. 1, p.

-415, 2017. Disponível em: .

Acesso em: 04 maio 2018.

ENDEAVOR Brasil. Índice de Cidades Empreendedoras 2017 . Brasil. 2017.

ERNEST & YOUNG (2000), Evolution, European Life Sciences report 2000 , Ernst &

Young Ltd., London, 2000.

FAO 2010. The Second Report on the State of the World’s Plant Genetic Resources for

Food and Agriculture . Rome. Disponível em:

< http://www.fao.org/docrep/013/i1500e/i1500e.pdf >. Acesso em: 01 julho 2018.

GIUGLIANI, Eduardo. Modelo de governança para parques científicos e tecnológicos no

Brasil. 2011. 310 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento). Programa

de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa

Catarina, Centro Tecnológico, Florianópolis, 2011. Disponível em:

http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFSC_773381b8872b1e9066d653ef51ab0165>. Acesso

em: 20 abr. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatísticas por cidade : Maringá - PR.

Disponível em: Acesso em: 22 de

junho de 2018.

JUCEPAR. Junta Comercial do Paraná. Relatórios Estatísticos 2017 e 2018 . Disponível em:

e

.

Acesso em: 22 de junho de 2018.

LIMA, Marcilene Barros et al. Parque Científico e Tecnológico: Uma análise do processo de

implantação e operacionalização a partir do estudo de caso no centro de apoio ao

desenvolvimento tecnológico (CDT/UNB) como gestor do parque da Universidade de Brasília

(UNB). Mar del Plata, Argentina, 2015.

MEDEIROS, José Adelino. Estruturas e espaços voltados à inovação e parceria: papel

dos pólos e parques tecnológicos . In: PALADINO, Gina G.; MEDEIROS, Lucília Atas

(Org.). Parques tecnológicos e meio urbano: artigos e debates. Brasília: Anprotec, GTU

Internacional, 1997. p. 55-76.

MCIDADES. Ministério das Cidades. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento

Básico: Diagnóstico de Serviços de Água e Esgoto. Brasil, 2015. Disponível em:

< http://www.snis.gov.br/diagnostico-agua-e-esgotos/diagnostico-ae-2015 >. Acesso em: 03

maio 2018.

MCTI. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques Tecnológicos e Incubadoras

para o Desenvolvimento do Brasil . Propostas de Políticas Públicas para Parques

Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. Brasília, 2015.

NOCE, Adriana Ferreira Soares. O processo de implantação e operacionalização de um

parque tecnológico: um estudo de caso . 2002. 148 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia

de Produção). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade

Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002. Disponível em:

. Acesso em: 03 maio 2018.

OLIVEIRA, Simões Patrícia. A Política de Desenvolvimento da Biotecnologia no Brasil e

o Papel Estratégico dos Parque Tecnológicos para o progresso da bioindústria . 2009. 591

f. Dissertação (Mestrado em Direito das Relações Sociais) - Pontifícia Universidade Católica

de São Paulo, São Paulo, 2009.

Organization for Economic Co-operation and Development/Food and Agriculture

Organization of the United Nations. OECD/FAO Agricultural Outlook 2015 , OECD

Publishing. Paris, 2015. Disponível em: . Acesso em: 22

abr. 2018.

PLATAFORMA SUCUPIRA. Cursos Avaliados e Reconhecidos . Centro Universitário de

Maringá. Disponível em:

< https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantit

ativoPrograma.jsf?areaAvaliacao=0&cdRegiao=4&sgUf=PR&ies=339037 >. Acesso em: 17

maio 2018.

______. Cursos Avaliados e Reconhecidos . Centro Universitário Ingá. Disponível em:

< https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantit

ativoPrograma.xhtml?areaAvaliacao=0&cdRegiao=4&sgUf=PR&ies=339047 >. Acesso em:

maio 2018.

______. Cursos Avaliados e Reconhecidos. Universidade Estadual de Maringá. Disponível

em:

antitativoPrograma.jsf?areaAvaliacao=0&cdRegiao=4&sgUf=PR&ies=339012>. Acesso em:

maio 2018.

PIMENTA, Guimarães Célia. O ambiente institucional da Biotecnologia voltada para a

Saúde Humana no Brasil . 2008. 131 f. Dissertação (Mestrado Desenvolvimento Sustentável/

Política e Gestão de Ciência e Tecnologia). Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

Disponível em:

< http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/5708/1/2008_CleilaGPimenta.pdf >. Acesso em: 17

maio 2018.

RIBEIRO, Juliane de Almeida. Desenvolvimento e validação de um modelo de referência

para a gestão estratégica do desempenho de parques tecnológicos . 2017. 160 f. Tese.

Centro de Pós-graduação e Pesquisas em Administração, Universidade Federal de Minas

Gerais, Belo Horizonte, 2017. Disponível em:

< http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/BUOS-ASBG4A/ppgad

ministra__o_julianealmeidaribeiro_tesedoutorado.pdf?sequence=1 >. Acesso em: 07 jul. 2018.

SILVEIRA, José Maria F. J. da; et al. DAL POZ. Maria Ester; ASSAD. Ana Lúcia.

Biotecnologia e recursos genéticos: desafios e oportunidades para o Brasil.

Unicamp/Finep: Campinas, 2004.

SOUSA, A. N. , MATOS, B. Do S.; Caracterização do Perfil dos Empreendedores no

Contexto da Cultura Organizacional das Micro e Pequenas Empresas da Zona Amazônica do

Brasil. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Micro e Pequenas Empresas, v. .2, n.

, p. 69, jan./abr. 2017.

SPOLIDORO, Roberto. A sociedade do conhecimento e seus impactos no meio urbano. In:

PALADINO, Gina G.; MEDEIROS, Lucília Atas (Org.). Parques tecnológicos e meio

urbano: artigos e debates. Brasília: Anprotec, GTU Internacional, 1997. p. 11-54.

VEDOVELLO, Conceição. Aspectos relevantes de parques tecnológicos e incubadoras de

empresas. Revista do BNDES , Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, p. 273-300, dez. 2000. Disponível

em:

onhecimento/revista/rev1410.pdf>. Acesso em: 17 maio 2018.

VEDOVELLO, Conceição Aparecida; JUDICE, Valéria Maria Martins; MACULAN,

Anne-Marie Dalaunay. Revisão crítica às abordagens de Parques Tecnológicas: alternativas

interpretativas às experiências brasileiras recentes. Revista de Administração e Inovação –

RAI , São Paulo, v. 3, n. 2, p. 103-118, 2006. Disponível em:

. Acesso em: 22 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i5.27254

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)