POTENCIAIS TECNOLÓGICOS E PATENTEABILIDADE DE TECNOLOGIAS DERIVADAS DE EXTRATOS VEGETAIS

Luiza Xavier da Silva Tenório, Sarah Sampaio Py-Daniel, Larisse Araújo Lima, Lincoln Pinheiro Oliveira, Thiago Lara Fernandes, Grace Ferreira Ghesti, Marcio Lima da Silva

Resumo


Diante de certas dificuldades com o desenvolvimento de tecnologias oriundas de organismos vegetais, o presente estudo visa averiguar o panorama das tecnologias desenvolvidas com derivados de extratos vegetais que foram protegidas por patente no Brasil e no mundo, e suas implicações. Para tal estudo, foram realizadas buscas patentárias dimensionadas nos últimos 10 anos de depósitos por meio de palavras-chaves e seus respectivos sinônimos, além de operadores booleanos. Ademais, foram aplicados filtros visando restringir o subdomínio técnico mais adequado. Os principais resultados evidenciaram que o Brasil possui uma baixa concentração de proteção de tecnologias derivadas de extratos vegetais, além destas estarem com status pendente. Observou-se, também, que as empresas apresentaram a maior concentração de famílias patentárias depositadas. Tais resultados podem ser em vista das políticas de incentivo à valorização da Propriedade Intelectual, pelas peculiaridades das legislações de cada país, assim como o incentivo da interação entre unidades bases de pesquisa e as empresas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i1.27227

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)