CONTRIBUIÇÕES PARA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA (IG): CONSIDERAÇÕES SOBRE ITORORÓ - BA COMO UMA POTENCIAL IG PARA CARNE DO SOL

Joelito Cruz Santos, Wagna Piler Carvalho dos Santos

Resumo


Este trabalho tratou de identificar as características associadas da carne de sol produzida no município Itororó, Bahia, Brasil, com objetivo de demonstrar a potencialidade de registro de Indicação Geográfica (IG) para o território abrangido pelo município. A pesquisa foi dividida em duas partes, diferenciação do produto e a determinação de área de indicação geográfica. Feita a revisão bibliográfica, foram comparadas as ações e características existentes do município em questão, bem como em relação ao produto. Assim ficou sinalizada a potencialidade do território do município de Itororó-BA em obter a proteção industrial pela Indicação Geográfica para o produto alimentício "carne do sol".


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº 9.279 de 14 de maio de 1996. Lei de Propriedade Intelectual. Regular direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l9279.htm Acesso em 18 mai. 2018.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA. Norma Interna DAS Nº04, de 16 de dezembro de 2013 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, Secretaria de Defesa Agropecuária.

CÂMARA MUNICIPAL DE ITORORÓ. Disponível em: http://www.camara.itororo.ba.io.org.br/historia Acesso em 20 mai. 2018.

COSTA, E. R. C. As Indicações Geográficas como Elementos Fortalecedores para a Atividade Turística. Turismo: Estudos&Práticas (RTEP/UERN), Mossoró/RN, v.3, n.1, p. 25-50. 2014. Disponível em: http://periodicos.uern.br/index.php/turismo/article/download/1073/588. Acesso em: 6 jul. 2018.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. EMBRAPA. Indicações geográficas de vinhos no brasil. 2017. Disponível em: https://www.embrapa.br/uva-e-vinho/indicacoes-geograficas-de-vinhos-do-brasil. Acesso em 22 mai. 2018.

FONTE, L. C. C; DALLABRIDA, R. V. Governança territorial em experiências de indicação geográfica: Análises e prospecções. DRd – Desenvolvimento Regional em debate, v. 6, n. 2, ed. esp., p. 228-246, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.unc.br/index.php/drd/issue/view/41. Aceso em 22 mai. 2018.

GUIMARÃES FILHO, E; SILVA, G. C. P. Indicação geográfica, uma certificação estratégica para os produtos de origem animal da agricultura familiar do semiárido. Rev. Econ. NE, Fortaleza, v. 45, p. 114-123, 2014. Disponível em: http://edi.bnb.gov.br/content/aplicacao/publicacoes/ren-numeros_publicados/docs/ren_2014_10_clovis_v2.pdf. Acesso em 22 mai. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Biblioteca IBGE site: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/bahia/itororo.pdf

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Instrução Normativa Nº 25/2013 - Estabelece as condições para o registro das indicações geográficas. Disponível em: www.inpi.gov.br. Acesso em 20 mai. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Indicadores de Propriedade Industrial 2018:o uso do sistema de propriedade industrial no Brasil. Diretoria Executiva. Assessoria de Assuntos Econômicos. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. (INPI). Disponível em: http://www.inpi.gov.br. Acesso em 05 jul. 2018b

MUCHNIK, J.; BIÉNABE, E.; CERDAN, C. Food identity/food quality: insights from the "coalho" cheese in the Northeast of Brazil. Anthropology of food. Local Foods v.4, 2005. Disponível em: https://journals.openedition.org/aof/110. Acesso em 07 jul. 2018.

MAIORKI, G. J.; DALLABRIDA, V. R. A indicação geográfica de produtos: um estudo sobre sua contribuição econômica no desenvolvimento territorial. Interações, v. 16, n. 1, p. 13-25, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/inter/v16n1/1518-7012-inter-16-01-0013.pdf. Acesso em 06 jul. 2018.

NASCIMENTO, N. J; DALLABRIDA, R. V. Direito e desenvolvimento territorial: as questões legais que envolvem a indicação geográfica de produtos e serviços no Brasil e no exterior. 2012. Disponível em: https://seer.faccat.br/index.php/coloquio/article/download/388/326. Acesso em 20 mai. 2018.

NEIVA, A.C.G.R; SERENO, J.R.B; FIORAVANTI, M.C.S. Indicação geográfica na conservação e agregação de valor ao gado curraleiro da comunidade Kalunga. Arq. Bras. Med. Vet. Zotec., 2011

REZENDE, A.A; SIMÕES. C. G; DALTRO. S. T; PEREIRA, S. M; MIYAJI, M. Contribuições para indicação geográfica (IG): Considerações sobre Buerarema – Ba como um potencial IG para farinha de mandioca. Cad. Prospec., v. 8, n. 4, p. 791-800, 2015. D.O.I.: 10.9771/S.CPROSP.2015.008.0902015.

RUSSO, S. L.; PRIESNITZ, M. C., GOMES, I. M. A; SILVA-MANN, R. organizadores. Propriedade intelectual, tecnologias e sociedade. São Cristóvão: Editora UFS, 2016. 332 p. ISBN 978-85-7822-525-4 (impresso). ISBN 978-85-7822-524-7 (on-line)

SANTANA, F .A. Turismo como vetor de desenvolvimento local: O caso do Festival de Carne do Sol - FESTSOL, Itororó, Bahia. 2006.

VALENTE, R. E. M; PEREZ, R; RAMOS. M. A; CHAVES, P. B. J. Indicação geográfica de alimentos e bebidas no Brasil e na União Europeia. Ciência Rural, v.42, n.3, p.551-558, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cr/v42n3/a7712cr5407.pdf. Acesso em 20 mai. 2018.

VALENTE, M. E; PEREZ, R; FERNANDES, R. L. O processo de reconhecimento das indicações geográficas de alimentos e bebidas brasileiras: regulamento de uso, delimitação da área e diferenciação do produto. Ciência Rural, v.43, n.7, p.1330-1336, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cr/2013nahead/a18113cr2012-0405.pdf. Acesso em 20 mai. 2018.

TRIPS. Trade-Related Aspects of Intellectual Property Rights (unamended version). Morocco, 1994. Disponível em: https://www.wto.org/english/docs_e/legal_e/27-trips_01_e.htm. Acesso em 07 jul. 2018.

ZUIN, S . F; ZUIN, B . P. Produção de alimentos tradicionais - Contribuindo para o desenvolvimento local / regional e dos pequenos produtores rurais. Taubaté, SP, Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 4, n. 1, p. 109-127, 2008. Disponível em: http://www.rbgdr.net/012008/artigo5.pdf. Acesso em 20 mai. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v12i1.27215

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)