PRODUÇÃO DE PATENTES NO ESTADO DO CEARÁ: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO SUPERIOR, CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

Geovane Gomes de Araujo, Etelvina Maria Marques Moreira, Lidiane Oliveira Araujo, Joelia Marques de Carvalho

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a produção de patentes nas instituições públicas cearenses de pesquisa, ciência e tecnologia, no período de 2009 a 2017. Foram analisadas as seguintes instituições: Universidade Estadual do Ceará (UECE), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Regional do Cariri (URCA), Universidade Federal do Cariri (UFCA), Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Esta pesquisa foi realizada através da exploração de dados bibliográficos e também pode ser considerada um estudo patentométrico, já que se tem nas patentes fontes de informação importantes para o desenvolvimento industrial. Os resultados obtidos mostram um avanço do número de depósitos de patentes, obtidas mediante o fortalecimento das políticas internas relacionadas à gestão de propriedade intelectual, com isso acarreta maior índice de proteção das invenções acadêmicas, garantindo direitos a propriedade, incentivando novas pesquisas e transferindo tecnologia para o mercado.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Base de dados do INPI. Disponível em: . Acesso em 1 jun. 2018.

______. Inventando o futuro: uma introdução às patentes para as pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: INPI, 2013.

BRASIL. Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 3 dez. 2004, seção 1, p. 2. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2004/lei-10973-2-dezembro-2004-534975-publicacaooriginal-21531-pl.html. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/l9279.htm. Acesso em 10 de junho de 2018

FUNDAÇÃO CEARENSE DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Projetos de pesquisa INCT/ Pronex/ Pronem - Ceará/ Brasil - 2008 a 2012. Fortaleza: Funcap, 2012. 41 p. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.

GUIMARÃES, Andreia de Araújo; ARAÚJO, Márcio Luis Valença; CARDOSO, Hugo Saba Pereira. Produção de patentes na região Nordeste: um estudo comparativo entre instituições de ensino superior públicas no período de 2002 a 2012. Gestão e Planejamento, Salvador, v.17, n.2, p. 146-161, maio/ago. 2016. Disponível em: . Acesso em 20 de maio 2018.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

MENEZES, Cláudia C. N et al. Prospecção tecnológica no Brasil: um mapeamento da propriedade industrial nos institutos federais de educação. Cadernos de Prospecção, Salvador, v.8, n.1, p. 19-26, jan/mar. 2015. Disponível em: . Acesso em 18 jun. 2019.

MICROSOFT Excel 2013. [S.l.]: Microsoft Corporation, 2016. 2,75 Kb. 1 CD-ROM.

OECD. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3.ed. S.l.: OECD: Finep, c1997. 284 p.

OLIVEIRA, Rodrigo M. de; VELHO, Léa Maria L. S. Patentes acadêmicas no Brasil: uma análise sobre as universidades públicas paulistas e seus inventores. Parcerias Estratégicas, Brasília, DF, v. 14, n. 29, p. 173-200, jul/dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.

PIMENTA, Luiz Edgard Montaury. S.O.S patentes. In: Valor Econômico online, São Paulo. 12 jun. 2018. Disponível em: http:/www.valor.com.br/legislacao/5587341/sos-patentes>. Acesso em: 23 jun. 2018.

RUSSO, Suzana Leitão et al. (Org.). Propriedade intelectual, tecnologias e inovação. Sergipe: Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual, 2018.

SCHUMPETER, J. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em 21 jun. 2018.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.

______. UVA em números 2016: ano base 2015. Sobral: UVA, 2016. p. 10. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em 21 jun. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.

______. UFC em números. Fortaleza: UFC, 2015. Dispónível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

______.Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Dados anuais de registros de propriedade intelectual. Fortaleza, 2018. 8 p. Disponível em: < http://www.cit.ufc.br/wp-content/uploads/2018/04/apresentacao-dados-cit-atualizada-site.pdf>. Acesso em 20 jun. 2018.

UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI. Portal institucional. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v11i4.27131

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)