ESTUDO PROSPECTIVO: O REGISTRO DE MARCAS COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA PARA O NEGÓCIO DO CACAU-CHOCOLATE NA REGIÃO SUL DA BAHIA.

Fárlei Cosme Gomes dos Santos, Ricardo de Araújo Kalid, Washington de Jesus Sant'Anna da Franca Rocha

Resumo


A atividade cacaueira foi considerada até a década de 80 como um importante sustentáculo econômico do Estado, levando a cultura cacaueira a permear de forma contínua às relações sociais nas distintas esferas em seu espaço geográfico. Após a praga denominada “vassoura de bruxa”, a região Sul tem procurado investir em outras atividades, gerando novos negócios relacionados ao cacau e ao chocolate. Este estudo objetiva discutir como o registro de marca poder ser uma importante estratégia mercadológica para o negócio do cacau-chocolate, na Região Sul da Bahia, a fim de contribuir para produção de conhecimento sobre os novos modelos de negócios do cacau/chocolate, verticalização da produção de cacau através de unidades produtivas de chocolate. Essas ações de valorização da propriedade industrial e a transferência de tecnologia devem promover a geração de empregos e de melhor qualidade, distribuição de renda, aumento da arrecadação de impostos e melhoria da qualidade de vida do povo da região cacaueira.


Texto completo:

PDF

Referências


ADEODATO, Sérgio, O novo chocolate brasileiro. Revista Horizonte Geográfico, São Paulo: edição nº 120, 2008. Disponível na internet http://horizontegeografico.com.br/exibirMateria/486/o-novo-chocolate-brasileiro. Acesso em: 03 de novembro de 2016.

AMBLER, T., STYLES, C. Marketing in the modern world: networks of silk. London, 1997, p. 23. (Livro aguardando publicação).

ARAÚJO, M. J. Fundamentos do agronegócio. São Paulo: Editora Atlas, p. 22, 2006.

BAGNATO, Vanderlei Salvador, Guia Prático II - Transferência de Tecnologia: Parcerias & Inovação Aberta, USP (2012).

BOCCHINO, Leslie; OLIVEIRA, Maria Cristina; MAIA, Mauro Sodré; PARMA, Nilto; JELITA, Roberto Roberval Ritter Von; MACHADO, Rogério Filomenoe PENA, Maria Vidal. Propriedade Intelectual – conceitos e procedimentos. Brasília―DF: Escola da AGU, 2010.

BRASIL. Lei Nº 9.279, de 14 de Maio de 1996: regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9279.htm Acesso em: 15 de junho de 2017.

ESTIVAL, K. S.; Correia S. R.; Cintra L. A. Do Consumo de Chocolates à Produção Cacaueira: Alternativas para Agregar Valor à Cadeia Produtiva do Cacau Fino em Ilhéus - Bahia – Brasil. in “Ponencia presentada al VIII Congreso Latinoamericano de Sociología Rural, Porto de Galinhas, 2010.p 5-6.

FONTES, Maria Josefina Vervloet. Do cacau ao chocolate: trajetória e perspectivas das micro e pequenas agroindústrias de cacau/chocolate: Teses de Doutorado. Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais Em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), 2013. .112 - 190.

FICC, Festival Internacional do Chocolate & Cacau. MVU Promoções e eventos e Qualifica Consultoria, Disponível http://www.chocolatfestival.com/gate/ Acesso em: 24 de junho de 2017.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Paulo: Atlas. 4ª edição, 2002.

INPI. Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Manual Acesso em 2016 http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/marcas/legislacao-marca Acesso em: 10 de setembro de 2016.

NIT UESC. Núcleo de Inovação Tecnológica. Relatório anual de atividades. Acesso em: 08 de Agosto de 2017.

MARTINS, José Roberto; BLECHER, Nelson. O império das marcas: como alavancar o maior patrimônio da economia global. 2. Ed. São Paulo: Negócio, 1997, p 210.

OCDE. Manual de Oslo. Diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação. Tradução da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP. Paris: OCED, 3º Ed. 2005. Disponível em: www.finep.org.br Acesso em: 5 junho de 2017.

PIMENTEL, L.O. Propriedade intelectual e inovações: marco conceitual e regulatório. In: Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Curso de propriedade intelectual e inovação no agronegócio/ Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: organização Luiz Otávio Pimentel. 3 Ed. MAPA: Brasília/Florianópolis, 2012, p.44-71.

SEBRAE, A importância da marca para sucesso do negócio. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/importancia-da-marca-para-sucesso-do-negocio,48f9634e2ca62410VgnVCM100000b272010aRCRD Acesso em: 10 de junho de 2017.

SANTOS, Fárlei C. G.; et all, Um Ensaio Analítico de Instrumentos para o Desenvolvimento Territorial Sustentável da Região Cacaueira. IV Encontro de Administração Política, para o desenvolvimento do Brasil. UESB, 2013.

_________INOVAÇÃO NA PRODUÇÃO DO CACAU/CHOCOLATE ARTESANAL NO SUL DA BAHIA: estudo de caso da Fazenda Força Verde, Rio do Engenho (Ilhéus-BA), Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Bahia, 2014.

TAVARES, Mauro Calixta. A força da marca: como construir e manter marcas fortes. São Paulo: Editora Harbra, 1998, p. 17 - 74.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Brasil, 1998, p31.

________. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1998, p.31.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v10i4.23163

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)