ESTUDO PROSPECTIVO DE DOCUMENTOS DE PATENTES RELACIONADOS AOS PRODUTOS E SUBPRODUTOS ALIMENTICIOS DA MANDIOCA

Renata Torres dos Santos e Santos, Itala Suzana Oliveira Silva, Paulo Leonardo Lima Ribeiro, Carolina Oliveira de Souza, Janice Izabel Druzian, Ana Cecilia Poloni Rybka, Clívia Danúbio Pinho da Costa Castro, Aline Telles Biasoto Marques

Resumo


Esta prospecção tecnológica buscou o mapeamento dos documentos de patentes que tangem os produtos e subprodutos alimentícios que contenham em sua composição a mandioca, utilizando a base de dados online Espacenet®, através das combinações dos descritores cassava*, manioc* e starch*, com os códigos de classificação internacional A21D, A23L1, A21D2/18, A21D2/36, A21D13/08 e A21D13/00. Foram encontradas 173 patentes, dentre os produtos mapeados, macarrão, bolo, cárneos e mix de farinha foram os mais representativos, seguido das massas, biscoitos e pães.  A partir da análise dos resultados, verificou-se que há perspectivas de crescimento na área em estudo; assim, espera-se fomentar o estudo de novas patentes e inovações tecnológicas dentro da realidade brasileira.

Palavras-chave


Mandioca, Amido; Processo

Texto completo:

PDF

Referências


ABAM. Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca. Estatísticas. 2015. Disponível em: . Acesso em 17 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº23, de 14 de dezembro de 2005. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade

dos Produtos Amiláceos derivados da raiz de Mandioca. Diário Oficial [da]

República Federativa do Brasil, Brasília, dez. 2005b. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº52, de 07 de novembro de 2011. Regulamento Técnico da farinha de Mandioca. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, nov. 2011. Disponível em: < http://sistemasweb.agricultura.gov.br/sislegis/action/detalhaAto.do?method=visualizarAtoPortalMapa&chave=497488882>. Acesso em: 26 mar. 2017.

CAMARGO FILHO, Waldemar Pires de; ALVES, Humberto Sebastião. Produção e mercado de mandioca: análise de preços ao produtor. Informações Econômicas, São Paulo, v. 34, n. 9, p.47-52, set. 2004. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

Cepea. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. Mandioca/Cepea: Produção de fécula ultrapassa 750 mil t em 2015. 2015. Disponível em:< http://www.cepea.esalq.usp.br/br/documentos/texto/release-6772.aspx>. Acesso em 17 mar. 2017.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Conjuntura Mensal – Mandioca, Período de 01/04 a 30/04/2016. 9p. Disponível em:

. Acesso em 26 mar. 2017.

DOMONICS, Timea. Arquivo X do Glúten: Breve História de um Vilão Moderno. 2015. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

EPO. European Patent Office. Cooperative Patent Classification. Disponível em:

< https://worldwide.espacenet.com/classification?locale=en_EP>. Acesso em 17 jan. 2017.

HUGO, Vitor. Polvilho Azedo, Doce e Fécula de Mandioca. 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

IBGE. NSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Levantamento

Sistemático da Produção Agrícola. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil. 2017. 108p. Disponível em:

. Acesso em 17 mar. 2017.

PEREIRA, Cilene; BRUGGER, Mariana; TARANTINO, Mônica. A batalha do glúten. 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

SEAB. Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento. Departamento de Economia Rural. Análise da Conjuntura Agropecuária – Mandioca Safra 2015/2016. 20p. Disponível em:

. Acesso em 26 mar. 2017.

SILVA, Henrique Ataide da. Mandioca, a rainha do Brasil?: Ascensão e queda da Manihoc esculenta em São Paulo. 2008. 168 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em História Social, História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2017.

WIPO. World Intellectual Property Indicators 2016. Economics & Statistics Series, 2016. Disponível em:. Acesso em: 10 mar. 2017.

WIPO. World Intellectual Property Indicators 2011. Economics & Statistics Series, 2011. Disponível em:. Acesso em: 18 mar. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v11i2.23100

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)