PALMA FORRAGEIRA: SEU USO EM ALIMENTAÇÃO E NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DE ELEVADO VALOR AGREGADO

Silvânia da Rocha Medeiros Vila Nova, Janaína Galdino de Barros, Ana Eleonora Almeida Paixão, Josealdo Tonholo, Sílvia Beatriz Beger Uchoa

Resumo


A Palma Forrageira é uma planta rica em vitaminas, minerais e aminoácidos, constitui-se em complemento alimentar de alto poder nutritivo, tanto animal quanto humano, mas ainda é relegada à condição de planta associada à subsistência de agricultores familiares em regiões periféricas, particularmente do seminário nordestino. Este trabalho apresenta uma prospecção tecnológica sobre a planta, fazendo uso de revisões patentária e bibliográfica, com objetivos de avaliar o poder econômico da Palma Forrageira, suas aplicações no contexto da alimentação humana e animal, suas características nutricionais e sua utilização comercial. Os resultados indicam o alto potencial da Palma Forrageira como produto agrícola que, além de promover sustentabilidade, pode alavancar negócios intensivos em tecnologia, contribuindo para um efetivo desenvolvimento das regiões onde é cultivada.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS. Panorama do setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos: resultados 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2017.

BARBOSA, A.; BARBOSA, A.; LIMA, M.; PIRES, V.; RIBEIRO FILHO, N. Frutos da palma forrageira e mandacaru como alternativas de alimentação humana. 3º Congresso Norte-Nordeste de Química. São Luís: UFMA, 2009.

CÂNDIDO FILHO, A.; PEREIRA, F.; LIMA, A. Base alimentar humana com o uso da palma forrageira. VI Simpósio de Reforma Agrária e Questões Rurais. Recife: Instituto Agronômico de Pernambuco, 2014.

CANTWELL, M. Manejo pós-colheita de frutas e verdura de palma forrageira. In: Agroecologia, cultivo e usos da palma forrageira. Roma: FAO. p. 123-139, 2001.

CASTRO, P.; SILVA, T.; OLIVEIRA, C. Utilização do fruto da palma forrageira na alimentação humana: fabricação de geleia. III Mostra de Iniciação Científica. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Guanambi, 2011.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DANTAS, S. F. A.; LIMA, G. F. C.; MOTA, E. P. Viabilidade econômica da produção de palma forrageira irrigada e adensada no semiárido potiguar. Revista IPECEGE, v. 3, n. 1, p. 59-74, 2017.

DIAZ, M.; ROSA, A.; TOUSSAINT, C.; GUERAUD, F.; SALVAYRE, A. Opuntia spp: characterization and benefits in chronic diseases. Oxidative Medicine and Cellular Longevity, v. 2017, p. 1-17.

FEUGANG, J.; KONARSKI, P.; ZOU, D., STINTZING, F. Nutricional and medicinal use of cactos pear (opuntia spp.) cladodes and fruits. Frontiers in Bioscence, v. 11, p. 2574-2589, 2006.

FORTE, S. Manual de elaboração de tese, dissertação e monografia. Fortaleza: Universidade de Fortaleza, 2004.

GODOY, A. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 20-29, Mai/Jun, 1995.

GOOGLE ACADÊMICO [Base de dados – Internet]. Google; 2017. Disponível em: < https://scholar-google-com-br.ez9.periodicos.capes.gov.br/> Acesso em 25 jun. 2017.

INPI [Base de dados – Internet]. Instituto Nacional da Propriedade Industrial; 2017. Disponível em: Acesso em 23 jun. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. PIB sobe 1,0% no primeiro trimestre de 2017. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Proposta de sistema nacional de pesquisas por amostragem de estabelecimentos agropecuários – SNPA: Concepção geral e conteúdo temático. Texto para discussão IBGE. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de contas nacionais 2010-2014. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2017.

INTERNATIONAL DIABETES FEDERATION. Diabetes atlas 2015. Disponível em: . IDF. Acesso em: 23 jun. 2017.

LATIPAT [Base de dados – Internet]. EspaceNet Pesquisa de Patentes; 2017. Disponível em: Acesso em 23 jun. 2017.

LEITE, M. Palma forrageira: opuntia fícus indica e nopalea cochenilifera. Universidade Federal da Paraíba. Areia: UFPB, 2006.

LIRA, M. A. Palma forrageira: cultivo e usos. Cadernos do Semiárido, Riquezas & Oportunidades. Recife: CREAPE, 2017.

MARQUES, O.; GOMES, L.; MOURTHÉ, M.; BRAZ, T.; PIRES NETO, O. S. Palma forrageira: cultivo e utilização na alimentação de bovinos. Cadernos de Ciências Agrárias, v. 9, n. 1, p. 75-93, 2017.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇÃO E A AGRICULTURA. Global report on food crises 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2017.

PATENTSCOPE [Base de dados – Internet]. WIPO; 2017. Disponível em: Acesso em 24 jun. 2017.

ROCHA, J. E. S. Palma Forrageira no Nordeste do Brasil: Estado da Arte. Embrapa Documentos 106. Embrapa Caprinos e Ovinos, Sobral, CE, 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2017.

SACHS, I. Espaços, Tempos e Estratégias do Desenvolvimento. São Paulo: Vértice. 1986.

SANTANA, M. F. S., LIMA, A. K. V. O., SANT'ANNA, M. C. S. Prospecção tecnológica para o gênero opuntia. Cad. Prospec., Salvador, v. 7, n. 3, p. 431-438, jul./set. 2014. D.O.I.: 10.9771/S.CPROSP.2014.007.044.

SCIELO [Base de dados – Internet]. Scientific Electronic Library Online; 2017. Disponível em: Acesso em 23 jun. 2017.

SCOPUS [Base de dados – Internet]. Elsevier; 2017. Disponível em: < https://www-scopus-com.ez9.periodicos.capes.gov.br/search/form.uri?display=advanced&origin=searchbasic&txGid=255D492F96309382B1D95C136B89F589.wsnAw8kcdt7IPYLO0V48gA%3a2> Acesso em 25 jun. 2017.

SHETTY, A. A.; RANA, M, K.; PREETHAM, S. P. Cactus: a medicinal food. Journal of Food Science & Technology, v. 49, n. 5, p. 530-536.

SILVA, R.; SAMPAIO, E. Palmas forrageiras opuntia fícus-indica e nopalea cochenillifera: sistemas de produção e usos. Revista GEAMA, v. 2, n. 1, p. 131-141.

WIPO [Base de dados – Internet]. Perguntas e respostas sobre o PCT. Disponível em: . Acesso em 14 jul. 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global prevalence of vitamin A deficiency in populations at risk 1995-2005: who global database on vitamin A deficiency. Geneva, WHO, 2009.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2ª Ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v10i4.22939

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)