PROSPECÇÃO DE ARTIGOS E PATENTES SOBRE MÉTODOS PARA VALORAÇÃO ECONÔMICA DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE INDICADORES EMERGÉTICOS

Ana carolina Valerio Nadalini, Ednildo Andrade Torres, Ricardo Araujo Kalid

Resumo


A preservação dos serviços ecossistêmicos e sua relação com o bem-estar humano tem se tornado assunto recorrente tanto no meio acadêmico como nas políticas públicas. A valoração destes serviços é impreterível para que se tenha a real dimensão de sua importância em nossa sociedade e o uso de indicadores e índices físicos acabou se tornando uma ferramenta muito utilizada pelos economistas ecológicos por retratar melhor o impacto da economia humana no meio ambiente, devido às imperfeições da valorização monetária, possibilitando o entendimento da realidade complexa e nas quais múltiplas variáveis do ambiente estudado são interdependentes. O presente trabalho refere-se a um estudo por meio de prospecção de artigos e patentes sobre metodologias para avaliação de serviços ecossistêmicos onde são verificados alguns indicadores. A partir da análise dos resultados encontrados na prospecção verificou-se que métodos para determinar o valor econômico dos recursos naturais especificamente com a utilização de indicadores emergéticos ainda são pouco explorados, mas se constitui de um assunto emergente e de oportunidades para a pesquisa e desenvolvimento. 


Texto completo:

PDF

Referências


BROWN, M. T.; ULGIATI, S. Monitoring patterns of sustainability in natural and man-made ecosystems. Ecological Modelling 108, p. 23–36, 1998.

______ Emergy and ecosystem complexity. Communications in Nonlinear Science and Numerical Simulation 14, 310–321, 2007.

______ Emergy accounting of global renewable sources. Ecological Modelling, 339, p. 148–156, 2016.

CAMPBELL, D. E. OHRT, A. Environmental Accounting Using Emergy: Evaluation of Minnesota. US Environmental Protection Agency – EPA, 2009.

CHEN, W.; LIUB, W.; GENGA, Y.; BROWN, M. T.; GAOD, C.; WU, R. Recent progress on emergy research: A bibliometric analysis. Renewable and Sustainable Energy Reviews 73, p. 1051–1060, 2017.

DALY, H. E. Desenvolvimento sustentável? Não obrigada. Campinas/SP: Ambiente & Sociedade – Vol. VII nº. 2 (jul./dez), 2004.

LAURILA-PANT, M.; LEHIKOINEN, A.; UUSITALO, L.; VENESJÄRVI, R. How to value biodiversity in environmental management? Ecological Indicators, 55, p. 1–11, 2015.

MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). Ecosystems and human well-being: Synthesis. Island Press, Washington, DC, 2005.

ODUM, H. T. Environmental Accounting. Emergy and Environmental Decision Making. John Wiley & Sons, New York, 1996.

____________ Environment, power and society for the twenty-first century: the hierarchy of energy. Columbia University Press, New York, 2007.

QUINTELLA, C. M. Cadernos de Prospecção. Ano I, Número 1. Salvador, BA. EDUFBA, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v11i1.22920

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)