PROSPECÇÃO TECNOLÓGICA: UM ESTUDO SOBRE OS DEPÓSITOS DE PATENTES EM NANOBIOTECNOLOGIA

Márcio Nannini da Silva Florêncio, Dimitrius Pablo Sabino Lima de Miranda, Armoni da Cruz Santos, Cristiane Toniolo Dias, Suzana Leitão Russo, Antônio Martins de Oliveira Júnior

Resumo


O emergente campo da nanobiotecnologia poderá muito em breve suprir as demandas por produtos de alta tecnologia em diversos segmentos do mercado em função de seu grande potencial de geração de inovações. Com o rápido avanço tecnológico, a nanobiotecnologia promoverá muitas mudanças e oportunidades, tendo impacto direto na qualidade de vida das pessoas. Este trabalho busca compreender as inovações e patentes depositadas com relação à nanobiotecnologia. Para tanto, foi realizado um mapeamento tecnológico nas bases de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), no período de 2007 a 2014. Os resultados mostraram que no Brasil o desenvolvimento tecnológico da nanobiotecnologia encontra-se em fase de crescimento, com poucos pedidos de patentes realizados pelas empresas privadas nacionais. Por outro lado, o número de patentes no mundo é elevado, com predominância dos depósitos na área de preparações para finalidade médicas, odontológicas ou higiênicas. 


Palavras-chave


Nanobiotecnologia; Patentes; Prospecção tecnológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, G. O.; SANTOS, R. E. A.; BRANDÃO, B. O. Uso da Biotecnologia aliado a Indústria Farmacêutica: Prospecção Tecnológica. Cadernos de Prospecção, v. 8, n. 4, p. 731-737, out/dez. 2015. http://dx.doi.org/10.9771/s.cprosp.2015.008.084

ANTUNES, A.; FIERRO, I.; GUERRANTE, R.; MENDES, F.; ALENCAR, M. S. D. M. Trends in nanopharmaceutical patents. International Journal of Molecular Sciences, v. 14, n. 4, p. 7016-7031, 2013. doi:10.3390/ijms14047016

BENNETT, J. W. Mycotechnology: the role of fungi in biotechnology. Journal of Biotechnology, v. 66, n. 2, p. 101-107, 1998.

BRASIL. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Regula os direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 14 de maio de 1996.

BRASIL. Lei nº 6.041, de 08 de fevereiro de 2007. Institui a Política de Desenvolvimento da Biotecnologia, cria o Comitê Nacional de Biotecnologia e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 08 de fev. de 2007.

INCT. Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia. Apresentação da chamada nº16/2014. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2017

COSTA, S. C. C.; NETO, A. G.; DE GUTIÉRREZ, I. E. M. Ensino, empresas e patentes em biotecnologia no país. GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 2, n. 2, p. 138-153, 2012. D.O.I.:10.7198/S2237-07222012000200005

DANG, Y.; ZHANG, Y.; FAN, L.; CHEN, H.; ROCO, M. C. Trends in worldwide nanotechnology patent applications: 1991 to 2008. Journal of Nanoparticle Research, v. 12, n. 3, p. 687-706, 2010. doi: 10.1007/s11051-009-9831-7

INPI. Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Nanobiotecnologia: cluster da nanotecnologia. Lisboa: INPI, 2011. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2016.

INPI. Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Cenário mundial do patenteamento em nanobiotecnologia de 2000 a 2008. Rio de Janeiro: INPI, 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2016.

INPI. Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Classificação de Patentes. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2017.

LINARES, L. M. D. La biotecnologia en Argentina: nuevos productos, nuevos desafios multilaterales. Rev. Derecho Estado, Bogotá, n. 36, p. 69-92, jan. 2016.

FARIA-TISCHER, P. C. S; TISCHER, C. A. Nanobiotecnologia: plataforma tecnológica para biomateriais e aplicação biológica de nanoestruturas. BBR-Biochemistry and Biotechnology Reports, v. 1, n. 1, p. 32-53, 2012.

FLORENCIO, M. N. S; COSTA, B. M. G., ABUD, A. K. S; OLIVEIRA JUNIOR, A. M. Caracterização dos Pedidos de Patentes em Biotecnologia nos Estados do Nordeste Brasileiro no Período Anterior e Imediatamente após a Lei de Inovação. In: 7TH ISTI-INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON TECHNOLOGICAL INNOVATION, 2016, Aracaju, Anais… Aracaju: API, 2016, p. 25-31.

KNOCKAERT, M.; MANIGART, S.; CATTOIR, S.; VERSTRAETE, W. A perspective on the economic valorization of gene manipulated biotechnology: Past and future. Biotechnology Reports, v. 6, p. 56-60, 2015.

MENDES, L.; AMORIM-BORHER, B.; LAGE, C. Patent applications on representative sectors of biotechnology in Brazil: an analysis of the last decade. Journal of Technology Management & Innovation, v. 8, n. 4, p. 91-102, 2013.

OECD. Organization for Economic Cooperation and Development. Main Science and Technology Indicators, v. 2016, n. 1, Paris: OECD Publishing, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2016.

REDIGUIERI, C. F. Study on the development of nanotechnology in advanced countries and in Brazil. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 45, n. 2, p. 189-200, 2009.

SANT'ANNA, L. S.; ALENCAR, M. S. M.; FERREIRA, A. P. Patenteamento em nanotecnologia no Brasil: desenvolvimento, potencialidades e reflexões para o meio ambiente e a saúde humana. Química Nova, São Paulo, v. 36, n. 2, p. 348-353, 2013.

TAKEDA, Y.; MAE, S.; KAJIKAWA, Y.; MATSUSHIMA, K. Nanobiotechnology as an emerging research domain from nanotechnology: A bibliometric approach. Scientometrics, v. 80, n. 1, p. 23-38, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v10i2.21453

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)