ANÁLISE DO POTENCIAL MERCADOLÓGICO DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA DE ORIGEM BIOLÓGICA POR MAPEAMENTO DE TECNOLOGIAS E PRODUTOS EM DOCUMENTOS DE PATENTES

Ana Paula Gomes Braga de Azevedo, Fabiana Mitiko Adati, Gabriel da Silva Santos, Giovanna Chinait de Carvalho, Paulo Nicola Venturelli, Rodnei Fagundes Dias, Celso Barbosa de Sant´Anna Filho

Resumo


As nanopartículas de prata (AgNPs) têm aplicações em diversos setores industriais, as quais dependem de características como forma, tamanho, dispersão e presença de resíduos de síntese. O presente estudo teve como objetivo mapear os principais setores e tecnologias que utilizam AgNPs no Brasil e no mundo, a partir de 2008, e avaliar o potencial mercadológico de AgNPs biológicas. Como resultado, o estudo demonstrou que os depósitos de pedidos de patentes no Brasil e no mundo são crescentes, embora no cenário nacional ele ainda seja baixo. Dentre os depósitos nacionais a classificação com maior relevância é a A61, correspondente à área de higiene e saúde. O estudo mercadológico demonstrou que, em produtos quimicamente sintetizados, a ausência de resíduos pode encarecer o produto significativamente e que a síntese biológica pode ser uma opção econômica e ecologicamente mais viável. Conclui-se, então, que há uma grande potencialidade no mercado para AgNPs biológicas.

Palavras-chave


Nanopartículas; Prata; Patentes; Biossíntese; Mapeamento Tecnológico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/s.cprosp.2015.008.048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)