DENDÊ DE VALENÇA E GUARANÁ DE TAPEROÁ: POTENCIAIS DE INDICAÇÃO GEOGRÁFICA NO TERRITÓRIO DO BAIXO SUL DA BAHIA

Marcel Azevedo Batista D´Alexandria, Anselmo Santos da Silva, Wesley Cerqueira Souza

Resumo


No atual contexto, onde as relações de mercado são cada vez mais competitivas, as Indicações Geográficas consistem numa estratégia produtiva que garante a originalidade do produto. Assim, diversos produtores buscam obter o registro de Indicação Geográfica, pois, através deste, podem conquistar um número maior de consumidores. Esta realidade pode gerar emprego e renda para muitas regiões que apresentam potencialidades produtivas. Entretanto, no Brasil, há diversos recortes espaciais que, apesar de apresentarem elevado potencial produtivo, possuem poucos exemplos de registros de Indicação Geográfica. A Bahia é um exemplo desta realidade, pois existem muitas regiões, dentro deste Estado, que possuem comunidades tradicionais que se ocupam com a produção de artigos caracterizados pelas especificidades dos locais onde são produzidos. Desta forma, é possível destacar o Baixo Sul, onde a produção de dendê e guaraná estão presentes de forma significativa e reuni todas condições para obter o registro de Indicação de Geográfica.

Palavras-chave


Indicação Geográfica, Produtividade, Competitividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/s.cprosp.2015.008.042

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)