PATENTES ACADÊMICAS X PATENTES UNIVERSITÁRIAS: UMA AVALIAÇÃO DO INVENTOR ACADÊMICO NAS PATENTES DEPOSITADAS PELA VIA PCT 2002-2012

Kelyane da Silva, Manuel Mira Godinho, Josealdo Tonholo, Silvia Beatriz Beger Uchoa, Alexandre Guimarães Vasconcellos

Resumo


Este trabalho traz elementos de discussão acerca das patentes acadêmicas e sua relativa amplitude em relação ao tradicional conceito de patentes universitárias. Foi realizada uma varredura nas patentes internacionais depositadas pela via do Patent Cooperation Treaty (PCT), no período de 2002 a 2012, sendo realizado um cruzamento com os nomes de todos os inventores e a base de dados da Plataforma Lattes do CNPq. O cruzamento permitiu classificar as patentes como sendo acadêmicas ou universitárias, bem como avaliar a evasão dos depósitos não realizados pelas instituições universitárias, mas que têm inventores que são de seus quadros de pessoal. Os resultados revelaram que cerca de 38% das patentes PCT relatadas como independentes podem ser classificadas como patentes acadêmicas, ao passo que destas 74% apresentam pessoal do quadro permanente relacionados na lista de inventores. Tal estudo permite o refinamento das políticas públicas e direcionamento de ações da Academia no sentido de aumentar a eficiência do processo de transferência de tecnologia desejado na relação Universidade-Empresa.

Palavras-chave


Patentes Acadêmicas, Patentes Universitárias, Relação Universidade-Empresa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/S.CPROSP.2014.007.034

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)