MAPEAMENTO DOS ATIVOS TECNOLÓGICOS DO IF SUDESTE MG COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA A POLÍTICA INSTITUCIONAL DE INOVAÇÃO

Flávia Couto Ruback Rodrigues, João Otávio de Barros Berbert, Maria Luiza Firmiano Teixeira, Rafael Lourenço Luz

Resumo


No Brasil, muito tem se discutido sobre a relação Universidade-Empresa. À medida que a inovação tecnológica impulsiona o desenvolvimento econômico, as empresas necessitam de conhecimentos e tecnologias gerados em ambientes acadêmicos. Se por um lado o setor produtivo muitas vezes desconhece a possibilidade de firmar parcerias tecnológicas com universidades, a ausência de estruturas organizacionais próprias para a gestão da inovação nesses ambientes tem se tornado uma
barreira para o desenvolvimento de parcerias entre esses dois atores. Nesse sentido, torna-se cogente que a academia detenha um autoconhecimento de seu potencial técnico, para assim, poder configurar o setor produtivo como receptor do conhecimento gerado por meio de pesquisas.
Destarte, neste artigo será exposto o Mapeamento dos Ativos Tecnológicos do IF Sudeste MG como um instrumento primordial capaz de subsidiar o processo de tomada de decisão em ciência,
tecnologia e inovação visando à construção de um ambiente propício para a interação Universidade- Empresa.

Palavras-chave


Prospecção Tecnológica; Interação Universidade-Empresa

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/cp.v6i3.11408

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Rede NIT-NE - Cadernos de Prospecção ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line)