Muito além da diversão: reflexões sobre a gestão noturna de cidades

Fernando Burgos Pimentel dos Santos

Resumo


Enquanto grande parte das pessoas dorme, uma parcela da população segue acordada, se divertindo ou trabalhando. Importantes cidades do mundo (como Amsterdam, Londres, Nova York e Paris, por exemplo) já perceberam o valor estratégico que a “noite” possui – tanto para a organização da cidade para o dia seguinte, como para a geração de emprego e renda com atividades específicas – mas a administração pública brasileira segue dando pouca atenção para este período do dia. O artigo descreve a disciplina eletiva “Gestão Noturna de Cidades”, do curso de Graduação em Administração Pública da FGV-EAESP, cuja inspiração foi a proliferação desses “prefeitos noturnos” internacionais. Por meio de um estudo de caso, analisamos a disciplina que tem carga horária total de 50 horas e ocorre durante uma semana, com aulas começando às 19h e terminando às 6h do dia seguinte. Os resultados mostram uma mudança de percepção dos(as) estudantes em relação à noite e à importância da gestão pública nesse período.


Palavras-chave


Gestão Noturna; Cidades; Noite; Inovação; Gestão Municipal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840