GESTÃO SOCIAL, AUTOGESTÃO E GESTÃO DEMOCRÁTICA PELA NAVALHA DE OCCAM: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL BASEADA NA TEORIA DOS CONJUNTOS

Airton Cardoso Cançado, Ariádne Scalfoni Rigo, Helga Midori Iwamoto, Lauro Santos Pinheiro

Resumo


O objetivo deste trabalho é discutir as semelhanças e diferenças entre conceitos muito próximos: gestão democrática, autogestão e gestão social. Dados os avanços do campo da gestão social no Brasil, este artigo contribui para o esclarecimento dessas diferenças conceituais, afastando o “fantasma de Lampedusa” que parece rondar a terminologia Gestão Social. Parte-se do pressuposto que existem diferenças entre estes conceitos que, apesar de próximos, não podem ser usados como sinônimos, sob pena de imprecisão quanto à sua adequação. Utiliza-se como apoio metodológico a Teoria dos Conjuntos (da matemática) e a perspectiva da Navalha de Occam (a busca da solução mais “elegante”). Os resultados apontam para congruências entre os três conceitos, mas também para diferenças importantes entre eles, confirmando o pressuposto apresentado.

Palavras-chave


Gestão Social; Autogestão; Gestão Democrática; Teoria dos Conjuntos; Navalha de Occam

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840