EQUIPAMENTOS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL NO SEMIÁRIDO: O caso da Cidade de Icó (CE)

Wagner Pires da Silva, Erlene Pereira Barbosa

Resumo


O semiárido brasileiro é um território que foi considerado um problema durante boa parte de sua história. No entanto a alteração de paradigmas ocorrida nas últimas décadas, no qual se abandona as políticas de combate à seca pela busca de convivência com o semiárido, tem feito alterações sensíveis na região no que diz respeito a aspectos como acesso à saúde e educação, o que contribui para a efetivação e a promoção da cidadania entre a população da região. Alguns dos equipamentos que iniciaram a sua atuação no semiárido nos últimos anos foram os que dizem respeito à atenção psicossocial, na esteira da consolidação da chamada psicologia social ou comunitária, que tende a ampliar a atuação dos profissionais de saúde mental junto aos setores mais carentes da população. A observação realizada nos equipamentos, sediados na cidade de Icó, vem auxiliar na compreensão do significado do acesso a estes órgãos pela população sertaneja da cidade e de seu entorno. Profissionais e usuários dos equipamentos foram observados durante o desempenho das atividades e o trabalho procurou registrar não apenas a atuação rotineira do equipamento, quanto algumas das percepções acerca das condições de trabalho e as necessidades de ampliação de atendimento, seja por contratação de mais profissionais para atuar nos equipamentos já em funcionamento, seja para a instalação de novos equipamentos, atingindo uma área maior da comunidade.

Palavras-chave


Políticas Públicas; Semiárido; Psicologia social

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840