PROBLEMATIZANDO O “VELHO” E O “IDOSO” SOB A ÓTICA DO CAPITAL

André Felipe Vieira Colares, Luiz Alex Silva Saraiva

Resumo


O objetivo deste trabalho centra-se na discussão sobre a marginalização do idoso perante a sociedade capitalista, tendo em vista suas limitações físicas e psicológicas e o consequente desprezo do ser humano idoso por sua inaptidão ao trabalho e ao capital. Este trabalho buscou, por meio de entrevistas semiestruturadas, construir a noção do “ser idoso” através das práticas de sociabilidade desenvolvida por estes no espaço urbano em Belo Horizonte. Para tanto, trabalhou-se com doze idosos frequentadores da Praça Sete em Belo Horizonte. O método de análise adotado para as entrevistas foi a análise de discurso, em sua vertente francesa. Concluiu-se que, à exceção daqueles que ainda pode ter habilidades ou conhecimentos aproveitados pelo capital, a maioria dos idosos são tidos como velhos e, portanto, desprezados assim que passam a não satisfazer as necessidades do mercado de trabalho. A aposentadoria, por outro lado, que serviria de sustento aos idosos e retribuição aos anos de contribuição ao sistema de seguridade, acaba por ser insuficiente, lançando-os ao mercado de trabalho novamente e, mais uma vez, reafirmando sua posição marginalizada – ocupando vagas no trabalho informal e subempregos.

Palavras-chave


Idoso; Velho; Trabalho; Capital; Sociedade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840