ERA UM CONSELHO COMUNITÁRIO SEM COMUNIDADE

Emanuelle Silva, Edgilson Tavares de Araújo

Resumo


Bruna Fernandes foi contratada para coordenar as atividades de campo da Casa das Vontades. Dentre as suas atribuições está a criação e gestão do Conselho Comunitário da Casa das Vontades. Porém, um grupo político partidário e a coordenadora geral do projeto não têm interesse em fazer com que o Conselho Comunitário funcione e muito menos que os comunitários do Povoado Biriri sejam integrantes ativos desse conselho. Bruna Fernandes tem um dilema na sua vida profissional, dar continuidade as estratégias de mobilização e participação cidadã dos comunitários de Biriri, mesmo indo de encontro aos interesses institucionais de sua coordenadora geral, Maria Aparecida ou pedir demissão e ver a gestão de um conselho comunitário sem a representação legítima dos comunitários.

Palavras-chave


Ética. Participação. Gestão participativa. Mobilização social.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840