A Residência Social como experiência de aprendizagem situada e significativa em cursos de gestão social e gestão pública

Rosana de Freitas Boullosa, Mariana Leonesy da Silveira Barreto

Resumo


A Residência Social nasceu como um experimento metodológico que buscava construir
uma nova relação entre ensino e aprendizagem, a partir da valorização de alguns
aspectos inerentes ao processo de desenvolvimento profissional de adultos, tais como
integração de saberes e experiências anteriores com novas construídas ao longo da
formação oferecida, um maior diálogo entre conhecimento prático e conhecimento
teórico, além de oferecer uma oportunidade para que o aluno, estimulado por uma
demanda cognitiva (inusitada), ative, em uma síntese criativa, algumas das
competências que a formação em gestão social da e na UFBA defendia (e continua
defendendo) como essenciais para um (bom) gestor social, tais como capacidade de
mediar conflitos e facilitar processos de construção de estratégias desenvolvimento
socioterritorial. Este artigo busca analisar tal experiência a partir do como referencial
teórico a perspectiva de aprendizagem social de Jonh Dewey, da aprendizagem situada
e significativa de Jean Lave e David Ausubel, apontando alguns dos principais dilemas e
desafios da metodologia em questão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. ISSN: 2237-7840