Experiências e percepções: Relatos sobre vivências das mulheres negras na cidade de Maceió-AL

Mayara Almeida Paula

Resumo


ntendendo que as demandas das mulheres negras são comumente negligen- ciadas no ato de pensar as políticas públicas e as cidades, o presente artigo visa, a partir de fragmentos de entrevistas realizadas com cinco mulheres negras moradoras da cidade de Maceió, em Alagoas, trazer reflexões e contribuir no debate a respeito das experiências que esse grupo social tem da cidade, compreendendo que suas vidas são marcadas por relações patriarcais e racistas que estruturam a lógica de ocupação e de vivência das mais variadas dinâmicas urbanas. E a partir dos relatos é perceptível que suas necessidades, se consideradas, têm o potencial de construir cidades democráticas que atendam de forma eficaz às demandas de toda a população.

 

Palavras-chave: cidade; mulheres negras; planejamento urbano


Texto completo:

PDF

Referências


ATLAS DA VIOLÊNCIA 2019. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

ALAGOAS-BRASIL. O memorial. Parque memorial Quilombo dos palmares, [entre 2010 e 2014]. Disponível em: . Acesso em: 10 ago 2019.

GELEDÉS. Sojourner Truth. Disponível em: . Acesso em: 10 ago 2018.

FOLHA, R. Desigualdade no Brasil. Folha de São Paulo, jun 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 jul 2019.

GARCIA, J. A cor dessa cidade sou eu? A mulher negra na cidade, Salvador – BA. Disponível em: . Acesso em: 12 ago 2019.

IBGE. Censo demográfico, 2000-2010. Disponível em: . Acesso em: 19 jul 2019.

LUNA, L. Quebra do Xangô: pesquisadores avaliam a intolerância religiosa. Universidade Federal De Alagoas, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 ago 2019.

MARICATO, E. Metrópole, legislação e desigualdade. Estudos avançados, São Paulo, p. 2, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 jul 2019.

MOASSAB, A.; BERTH, J.; HOSHINO, T. "As marcas urbanas da violência colonial". Gazeta do Povo, 13 Maio 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 set 2018.

RIBEIRO, D. FEMINISMO NEGRO PARA UM NOVO MARCO CIVILIZATÓRIO. Revista Internacional de Direitos Humanos, v. 13, n. 24, 2016. Disponivel em: . Acesso em: 15 ago 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.