Necessidades dos usuários de espaços de performances imersivas mediatizadas

Erik Geelhoed, Phil Stenton, Kuldip Singh-Barmi, Ian Biscoe

Resumo


Nas duas últimas décadas artistas performáticos vêm fazendo uso desistemas de videoconferências para instalações, performances conjuntas e ensaios, frequentemente negociando por preço elevado tanto o software quanto o hardware “bespoke” (feito sob encomenda). Recentemente, tecnologia pervasiva de baixo-custo para videoconferência tem sido aplicada em instalações mediadas, abrindo o caminho para uma tecnologia a ser incorporada no currículo das escolas superiores de performance, criando assim a obrigação de uma investigação sistemática sobre as necessidades do usuário. Relatamos um estudo no qual estudantes de teatro e de dança compartilham experiência por meio de conexão de videoconferência. Os resultados ressaltam as diferentes exigências feitas aos difusores de práticas de teatro e dança e esses resultados contribuem para um programa de investigação da UE Framework 7, cujo enfoque é a melhor forma de apoiar o espaço de atuação mediada, e permitir resposta interativa do público. Ressaltamos perspectivas teóricas relevantes para a telepresença em performance. Por último, descrevemos como insights sobre as necessidades dos usuários de espaços de performances imersivas mediadas levaram à construção de um protótipo que consiste em duas cavernas (CAVEs – Ambientes virtuais em Computer Aided [CAD]), conectadas através da internet.

Palavras-chave


Performance mediada; Pesquisa de usuários; Videoconferência; Telepresença

Texto completo:

PDF PDF (English)


ISSN: 2358-2006

Licença Creative CommonsEsta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.