A EXPLOSÃO DO OLHAR: A PAISAGEM POÉTICA DE MURILO MENDES

Priscila Wandalsen Mendonça de Castro

Resumo


Murilo Mendes é considerado um poeta conciliador de contrários que entende a poesia como linguagem que deflagra as contradições inerentes à vida humana (MOURA, 1995).O presente artigo trata, em especial, da potência de vida na paisagem construída pela linguagem muriliana, o que significa dizer que Mendes, ao construir uma paisagem que integra  mundo/homem e dissolve as dicotomias eu x espaço, homem x natureza, espaço x tempo traz à tona o que há de mais poderoso na natureza, nas coisas e na vida, a contradição harmônica. No artigo verifica-se que a paisagem em sua obra não é uma tentativa de retrato fiel à realidade, não é algo que se manuseia a favor do homem, é um olhar que resgata a dinâmica da vida em sua multiplicidade, propondo um homem que se relaciona de modo completo e intenso com o mundo. O corpus da pesquisa é composto por quatro poemas retirados dos livros Os quatro elementos, Poesia Liberdade e Convergência. Para seleção foi utilizada a teoria de Michel Collot sobre paisagem poética (COLLOT, 2013), pois o autor defende que uma paisagem não é construída apenas com o olhar e também pode ser construída pela linguagem. A Hermenêutica servirá como método de interpretação, propondo assim uma leitura possível sem reduzir a obra a um único olhar.

Palavras-chave


Murilo Mendes; Poesia; Paisagem

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Laís Corrêa de. Poetas modernos do Brasil: Murilo Mendes. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

__________________. “Apresentação da Poesia Brasileira”. In: Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1990.

COLLOT, Michel. Poética e filosofia da paisagem. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2013.

DASTOLI, Carlo Alberto. Parole Chiave: dizionario di italiano per brasiliani. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FRIAS, Joana Matos. O erro de Hamlet. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2002.

HOBSBAWM, Heric J. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MENDES, Murilo. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MOURA, Murilo Marcondes de. Murilo Mendes – a poesia como totalidade. São Paulo: Edusp: Giordano, 1995


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).