NARRATIVA LITERÁRIA E LINGUÍSTICA TEXTUAL DA CANÇÃO “CONSTRUÇÃO” DE CHICO BUARQUE UM ENFOQUE NO DISCURSO IMPLÍCITO

Lilian Rejane da Costa Minotto

Resumo


O objetivo deste estudo é apresentar uma análise da narrativa da canção Construção, de Chico Buarque de Hollanda, e também as marcas da linguística textual, especialmente os pressupostos e subentendidos. O objeto de estudo é o texto poético apresentado na canção escrita no período do Regime Militar (1971) e que traz consigo um discurso e materialidade únicos e que faz parte da marca literária do autor na sua fase de crítica político-social. Assim, avaliam-se os elementos narrativos como personagens, lugar, tempo e espaço, além de compreender o enfoque implícito, fortemente relacionado ao momento vivido pela sociedade brasileira na época, apresentando a partir de um discurso poético carregado de subjetividade. Destaca-se a importância do trabalho com música em sala de aula, sendo necessário trabalhar os elementos narrativos e as inferências linguísticas, auxiliando-os não apenas na decodificação do texto, mas sim na sua interpretação.

Palavras-chave


Narrativa Literária; Canção; Pressuposto; Subentendido.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BASTOS, L. C.; BIAR, L. A. Análise de narrativa e práticas de entendimento da vida social. D.E.L.T.A., n. 31, esp., p. 97-126, 2015. Disponível em: Acesso em: 20 nov. 2018.

BELLO, M. R. L. Narrativa literária e narrativa fílmica: o caso de Amor de Perdição. 2001.

CARDOSO, J. B. Teoria e Prática de leitura, apreensão e produção de texto: por um tempo de "PÁS" (Programa de Avaliação Seriada). Brasília: Universidade de Brasília, São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2001.

DIAS, L. C. F. No jogo entre a linguística textual e a análise do discurso: (em)bates e (de)bates de visões. Revista Letra Magna, a. 4, n. 7, 2007. Disponível em: Acesso em: 20 nov. 2018.

DUCROT, O. Pressupostos e subentendidos: a hipótese de uma semântica linguística. Pressupostos e subentendidos (reexame). In: O dizer e o dito. Campinas, SP: Pontes, 1987.

FERNANDES, R. Chico Buarque: o poeta das mulheres, dos desvalidos e dos perseguidos – ensaios sobre a mulher, o pobre e a repressão militar nas canções de Chico. São Paulo: LeYa, 2013.

FIORIN, J. L. A linguagem em uso. In: FIORIN, José Luiz (org.). Introdução à linguística. 6 ed. São Paulo: Contexto, 2015, p. 165-186.

GANCHO, C. V. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática. 2002.

MAGALHÃES, M. U. B. A problemática do feminino na lírica de Chico Buarque. Anais do SILEL, v. 1. Uberlândia: EDUFU, 2009. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2018.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Org.). Gêneros textuais e ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

MORIGI, V. J.; BONOTTO, M. E. K. K. A narrativa musical, memória e fonte de informação afetiva. Em Questão, Porto Alegre, v. 10, n. 1, p. 143-161, jan./jun. 2004. Disponível em: < https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/88> Acesso em: 20 nov. 2018.

MOKVA, A. M. D. Os ditos políticos nas máximas de Grice. Soletras , a. I, n. 2. São Gonçalo: UERJ, jul./dez. 2001. Disponível em: Acesso em: 15 nov. 2018.

REIS, C. O Conhecimento da literatura: introdução aos estudos literários. Coimbra, Almedina, 1997.

ROCHA, G. A cultura da linguagem na obra de Chico Buarque. Alceu, v. 9, n.18, p. 131-147, 2009. Disponível em: Acesso em: 15 nov. 2018.

SILVA, M. Entre a linguística e a literatura: percursos interdisciplinares. In: NASCIMENTO, J. V.; TOMAZI, M. M.; SODRÉ, P. R. Língua, literatura e ensino. São Paulo: Blucher, 2015, p. 56-66.

SODRÉ, M. Best-seller: a literatura de mercado. 2. ed. São Paulo: Ática, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).