A TEMÁTICA DA PROVA ORAL E SEUS EFEITOS NO DESEMPENHO DE APRENDIZES DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

Jean Carlos da Silva Gomes

Resumo


Dentre as habilidades que devem ser desenvolvidas durante o processo de aprendizagem de uma língua estrangeira, a produção oral ganha notável destaque, uma vez que capacita o aluno a tornar-se um administrador do seu próprio dizer. Em ambientes de ensino formal, a avaliação dessa habilidade é responsável, muitas vezes, por compor grande parte da nota a ser alcançada. Neste trabalho, discutimos como a temática abordada nas avaliações orais influencia no desempenho dos que estão sendo avaliados. Para tanto, comparamos dois modelos de provas orais que se diferenciavam apenas quanto à temática abordada e apresentamos seus efeitos na nota final e na percepção dos aprendizes. Os resultados indicaram que, quando os alunos discutem sobre temas de seu interesse e que permitem a exposição de um ponto de vista, há uma melhora considerável nos critérios de fluência e adequação.

Palavras-chave


Temática; Prova Oral; Espanhol como Língua Estrangeira

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Linguagens, códigos e suas tecnologias / Secretaria de Educação Básica. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_01_internet.pdf

ESCALANTE, Maria del Pilar Roca. Ética e oralidade no ensino das L2s. In: Oralidade e ensino: questões e perspectivas. In: IV Seminário Nacional sobre Linguagem e Ensino,s/p, 2016. Disponível em: http://www.leffa.pro.br/tela4/Textos/Textos/Anais/SENALE_IV/IV_SENALE/Pilar_Rocio_e_Yarana.htm

LACALLE, María Prados. El tratamiento de las variedades del español en los materiales para la enseñanza del español como lengua extranjera. Universidad de Jaén, 2014. Disponível em: http://tauja.ujaen.es/bitstream/10953.1/844/7/TFG_PradosLacalle,Maria.pdf

MICCOLI, L. Ensino e aprendizagem de inglês: experiências, desafios e possibilidades. Coleção Novas Perspectivas em Linguística Aplicada, vol.2. Campinas, SP: Pontes Editores, 2010.

QUEVEDO-CAMARGO, G.; GARCIA, L. Avaliação da Oralidade em Língua Inglesa: a atribuição de notas como expressão da subjetividade do professor. SIGNUM: Estud. Ling., Londrina, n. 20/3, p. 93-117, 2017. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/viewFile/25481/22644

ROMÃO, J. E. Avaliação dialógica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 1998. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/304038150_Avaliacao_dialogica

SCARAMUCCI, M. Proficiência em LE: considerações terminológicas e conceituais. Tab. Apl. Ling., v. 36, p. 11-22, 2000. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8639310

YOUNG, L. D. P. La oralidad en la enseñanza de español como lengua extranjera en el municipio de Benjamin Constant - Brazil. In: Cuarto encuentro internacional de español como lengua extranjera: enseñanza, aprendizaje y evaluación, 2015. Disponível em: https://spanishincolombia.caroycuervo.gov.co/encuentro-lengua-extranjera/ponencias/Pimentel%20Yong%20Lesly%20Diana.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).