RETRATOS DE IDENTIFICAÇÃO: NARRATIVAS, MEMÓRIAS E IMAGENS

Adriana do Carmo Figueiredo, Fábio Ávila Arcanjo

Resumo


A problemática que suscitou a escrita desta pesquisa está relacionada aos silenciamentos provocados pelas estruturas de poder, durante o período da ditadura militar brasileira (1964-1985), que desencadearam em narrativas, memórias e imagens de pessoas que testemunharam esse período turbulento da história do Brasil. A pesquisa apresenta como corpus de análise o documentário Retratos de Identificação, um filme de Anita Leandro, produzido em 2014, que traz os testemunhos de pessoas que relembram a vida no exílio, sem documentos. O objetivo da pesquisa é analisar as narrativas de vida, os elementos identitários e suas interfaces com os jogos cênicos e imagéticos que compõem a rememoração das lutas políticas que ocorreram na ditadura. Para a análise metodológica do corpus serão empregados conceitos da Teoria Semiolinguística, de Patrick Charaudeau (2009), conjugados às noções de narrativas de vida, em diferentes materialidades discursivas, conforme Machado (2016), além de outras perspectivas teóricas sobre o uso responsável da imagem, conforme Georges Didi-Huberman (2012). Como resultado preliminar, pretende-se discutir a relevância dos documentários, em especial este que compõe o corpus desta análise, como resgate de memórias discursivas reveladoras das lutas políticas em defesa das liberdades e garantias fundamentais.


Palavras-chave


Identidade; Memória; Documentário; Discurso; Direitos Humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidades enunciativas. Cadernos de estudos lingüísticos, 19. Campinas, IEL. 1990.

BRASIL. Atos Institucionais. Documentos históricos disponíveis em: . Acesso em: 12 jul. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Texto Constitucional de 5 de outubro de 1988 com as alterações adotadas pela emenda constitucional n° 99 de 14 de dezembro de 2017. Brasília: Planalto. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2018.

BRASIL. Constituição (1967). Constituição da República Federativa do Brasil, 24 de janeiro de 1967. Brasília: 146º da Independência e 79º da República. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2018.

BRASIL. Constituição (1946). Constituição dos Estados Unidos do Brasil, 18 de setembro de 1946. Rio de Janeiro: 125º da Independência e 58º da República. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2018.

CHARAUDEAU, P. Da ideologia aos imaginários sociodiscursivos. In: _____________. Discurso Político. (Trad. Fabiana Komesu e Dilson Ferreira da Cruz). São Paulo: Contexto, 2006. p. 184-208.

CHARAUDEAU, P. "Identité sociale et identité discursive. Un jeu de miroir fondateur de l’activité langagière", in Charaudeau P. (dir.), Identités sociales et discursives du sujet parlant, L’Harmattan, Paris, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jul.

CHARAUDEAU, P. Identidade linguística, identidade cultural: uma relação paradoxal. In: LARA, G. P.; LIMBERTI, R. P. (orgs.). Discurso e (des)igualdade social. São Paulo: Contexto, 2015. p. 13-29.

CHARAUDEAU, P. Langage et discours : éléments de sémiolinguistique. Paris: Hachette, 1983.

CHARAUDEAU, P. O discurso das mídias. (Trad. de Angela M. S. Corrêa). 2ª ed., 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2012.

DIDI-HUBERMAN, G. Imagens apesar de tudo. (Trad. de Vanessa Brito e João Pedro Cachopo). Lisboa: KKYM, 2012.

FIORIN, J. L. As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. 3ª ed. São Paulo: Contexto, 2016.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. (Trad. de Beatriz Sidou). 2ª ed., 8ª reimpressão. São Paulo: Centauro, 2015.

JAKOBS, G.; MELIÁ, M. C. Direito Penal do Inimigo: noções e críticas. Org. e trad.: André Luís Callegari, Nereu José Giacomolli. 2ª ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Ed., 2007.

LANZMANN, C. A lebre da Patagônia. (Trad. de Eduardo Brandão e Dorothée de Bruchard). São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

LEANDRO, A. Montagem e história. Uma arqueologia das imagens da repressão. In: Anais da Compós, 24 ̊ Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, Brasília, UNB, 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 jul.2018.

MACHADO, I. L. A Narrativa de vida como materialidade discursiva. IN: Revista da ABRALIN, Curitiba, BDP / UFPR, v. 14, N. 2, p. 95-108, 2015a. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/abralin/article/view/42557>. Acesso em: 10 jul.2016.

MACHADO, I. L. A ‘narrativa de si’ e a ironia: um estudo de caso à luz da Análise do Discurso. Cadernos Discursivos, Catalão, v. 1, 2013, p. 1-16.

MACHADO, I. L. Nos bastidores da Narrativa de vida & Análise do Discurso. In: MACHADO, I. L. e MELO, M. S. S. (org.) Estudos sobre narrativas em diferentes materialidades discursivas. Belo Horizonte: NAD/FALE/UFMG, 2016, p. 121-138. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2017.

NICHOLS, B. Introdução ao documentário. (Trad. de Mônica Saddy Martins). – 5ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2014.

Organização das Nações Unidas (ONU). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris, 1948. Proclamação pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, através da Resolução 217 A (III) da Assembleia Geral. Disponível em: Acesso em: 12 jul. 2018.

RAMOS, F. P. Mas afinal... O que é mesmo documentário? 2ª ed. São Paulo: Editora Senac, 2013.

SILVA, J. A. Comentário contextual à Constituição. 9ª. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2014.

SILVA, J. A. Curso de Direito Constitucional Positivo. 35ª ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2012.

TORRES, A. Relações teórico-metodológicas entre a AD e a Narrativa de Vida. In: MACHADO, I. L.; MELO, M. S. S. (Orgs.). Estudos sobre narrativas em diferentes materialidades discursivas na visão da Análise do Discurso [recurso eletrônico]. Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso, FALE/UFMG, 2016. cap. 1, p. 21-42.

ZAFFARONI, E. R. En busca de las penas perdidas - Deslegitimación y dogmática jurídico-penal. 2 ed. Buenos Aires: Ediar Sociedad Anónima Editora Comercial, Industrial y Financiera, 1998.

ZAFFARONI, E. R. Ensayo: El enemigo en el Derecho Penal. Publicación del Departamento de Derecho Penal y Criminología. Facultad de Derecho y Ciencias Sociales, Universidad de Buenos Aires, abril de 2006. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).