ESTUDO DE REPRESENTAÇÕES DA VIOLÊNCIA EM NARRATIVAS LITERÁRIAS E CINEMATOGRÁFICAS BRASILEIRAS CONTEMPORÂNEAS

Juliana Oliveira Lesquives

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar de que modo se configura a representação da violência no filme Quanto vale ou é por quilo? (2005), dirigido por Sérgio Bianchi, e no romance Estive lá fora (2012), escrito por Ronaldo Correia de Brito, atentando para as escolhas feitas ao investir na construção de narrativas sobre a violência como motor da história nacional e para as implicações dessa escolha para o fazer literário e cinematográfico contemporâneo, entendendo-as como reversões no que se refere ao tratamento dado ao tema.

O objetivo deste trabalho é analisar de que modo se configura a representação da violência no filme Quanto vale ou é por quilo? (2005), dirigido por Sérgio Bianchi, e no romance Estive lá fora (2012), escrito por Ronaldo Correia de Brito, atentando para as escolhas feitas ao investir na construção de narrativas sobre a violência como motor da história nacional e para as implicações dessa escolha para o fazer literário e cinematográfico contemporâneo, entendendo-as como reversões no que se refere ao tratamento dado ao tema.


Palavras-chave


Literatura brasileira contemporânea; Cinema brasileiro contemporâneo; violência sistêmica.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado de. Pai contra mãe. Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro. Disponível em: . Acesso em julho de 2015.

AGUIRRE, Carlos. Cárcere e sociedade na América Latina, 1800-1940. In. MAIA, Clarissa Nunes; et. al. História das prisões no Brasil. 1. ed. Volume I. Rio de Janeiro: Anfiteatro, 2017.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. 2. ed. Tradução de Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1986.

BRITO, Ronaldo Correia de. Estive lá fora. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

CUNHA, Paulo. Militares e anistia no Brasil: um dueto desarmônico. In. TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir. (orgs.) O que resta da ditadura: a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo, 2010.

DAVIS, Mike. Planeta favela. Tradução de Beatriz Medina. São Paulo: Boitempo, 2006.

FARIAS, Alan de. A indignação de Sérgio Bianchi. Entrevista publicada pela Revista Trópico. s/d. Disponível em: http://www.revistatropico.com.br/tropico/html/textos/3025,1.shl. Acesso em junho de 2017.

GALVÃO, Luíza Lopes. O Criminoso, o Policial e a Vítima no Cinema Brasileiro: a transformação da construção dos personagens desde a década de 60 até os anos 2010 à luz da passagem histórica da norma ao risco. Monografia de conclusão de Graduação em Comunicação da Universidade do Rio de Janeiro, Escola de Comunicação, Rio de Janeiro, 2014.

HOBSBAWN, Eric. Bandidos. Tradução de Donaldson M. Garschagen. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

IASI, Mauro. Posfácio. In. ZIZEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. Tradução Miguel Serras Pereira. São Paulo: Boitempo, 2014.

MAGRI, Milena Mulatti. Imagens da ditadura militar brasileira em romances de Caio Fernando Abreu, Bernardo Carvalho e Milton Hatoum. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

MARTINHO, Mariângela Rodrigues. Estado e coerção: a criminalização da pobreza como forma de controle social. I Congresso Internacional de Política e Serviço Social: Desafios Contemporâneos. Londrina, junho de 2015.

MAZZEO, Antonio Carlos. Estado e burguesia no Brasil: origens da autocracia burguesa. 3. ed. São Paulo: Boitempo, 2015.

OLIVEIRA, Francisco de. Noiva da Revolução: elegia para uma re(li)gião. São Paulo: Boitempo, 2008.

QUANTO vale ou é por quilo? Brasil, 2005. Direção: Sérgio Bianchi. Produção de Patrick Leblanc e Luís Alberto Pereira.

SAES, Décio. Estado e democracia: ensaios teóricos. 2. ed. Campinas: UNICAMP, 1998.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Cena do crime: violência e realismo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

SERRA, Carlos Henrique Aguiar; RODRIGUES, Thiago. Estado de direito e punição: a lógica da guerra no Rio de Janeiro. Curitiba: Revista Paranaense de Desenvolvimento. v. 35, n. 126, 2014, p. 91-108.

TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir. Apresentação. In. TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir. O que resta da ditadura: a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo, 2010.

ZAVERUCHA, Jorge. Relações civil-militares: o legado autoritário da Constituição brasileira de 1988. In. TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir. (orgs.) O que resta da ditadura: a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo, 2010.

ZIZEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. Tradução Miguel Serras Pereira. São Paulo: Boitempo, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).