A CONCORDÂNCIA VERBAL DE 3ª PESSOA DO PLURAL NA ESCRITA DE ALUNOS DO 8º ANO

Eliane Gonçalves da Silva de Azevedo

Resumo


Neste artigo, apresentamos os resultados de uma análise da variação na concordância verbal de terceira pessoa do plural na escrita de alunos do 8º ano do Ensino Fundamental, com faixa etária entre 13 e 15 anos, do Colégio Estadual Polivalente de Vitória da Conquista – BA. Pautando-nos no quadro teórico da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 2008 [1972]), utilizamos um corpus composto de produções narrativas escritas, elaboradas pelos alunos em sala de aula, com o propósito de analisarmos – quantitativa e qualitativamente – os contextos linguísticos e sociais que condicionam a variação na escrita formal dos utentes. Por meio dos resultados obtidos na análise, verificamos que a variação está condicionada tanto a fatores linguísticos quanto sociais, sendo os seguintes os grupos que se revelaram mais significativos estatisticamente: (i) quantidade de livros lidos por ano; (ii) saliência fônica; (iii) realização e posição do sujeito e (iv) nível de escolaridade da mãe, por ordem de significância.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, S. S. de F. A concordância verbal no português falado em Feira de Santana-Ba: sociolinguística e sócio-história do português brasileiro. 342 f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal da Bahia, Instituto de Letras, Salvador, 2014.

BARBOSA, E. A. Uma relação de intimidade ou um fosso profundo entre sujeito e verbo: estudo da concordância verbal de 3ª pessoa do plural no 9º ano. Dissertação (Mestrado). Programa de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2015.

BATISTA, R. da G. A. M. Os laços da concordância verbal. Dissertação (Mestrado). Programa de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2015.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BORTONI-RICARDO, S. M. Do campo para a cidade: estudo de migração e redes sociais. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

FAILLA, Z. (Org.). Retratos da leitura no Brasil 4. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

GRACIOSA, D. M. D. Concordância verbal na fala culta carioca. 99 p. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1991.

GRAMEIRO, M. B. A variação da concordância verbal na terceira pessoa do plural em redações escolares do ensino fundamental e médio: uma avaliação de fatores linguísticos e sociais. 220 f. Tese (Doutorado). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Araraquara, 2009.

GUY, G. Linguistic variation in brazilian portuguese: aspects of the phonology, syntax and language history. Tese (Doutorado em Lingüística) – University of Pennsylvania, Philadelphia, 1981.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades@. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=293330&search=bahia|vitoria-da-conquista|infograficos:-dados-gerais-do-municipio>. Acesso em: 18 fev. 2016.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. Trad. Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre e Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LOPES, N. da S. Concordância nominal, contexto linguístico e sociedade. 408 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística). Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

NARO, A.; SCHERRE, M. M. P. A relação verbo/sujeito: o efeito máscara do que relativo. In: HORA, D.; COLLISCHONN, G. Teoria Linguística: Fonologia e outros temas. João Pessoa: Editora Universitária, 2003, p. 383 – 401.

NARO, A.; SCHERRE, M. M. P. Origens do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

NOGUEIRA, M. Z. A. Variação linguística em Palmas de Monte Alto: análise da concordância verbal na escrita de estudantes do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado). Programa de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2015.

SCHERRE, M. M. P; NARO, A. A concordância de número no português do Brasil. In: HORA, D. Diversidade linguística no Brasil. João Pessoa: Ideia, 1997.

SCHERRE, M. M. P. Doa-se lindos filhotes de poodle: variação linguística, mídia e preconceito. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

SILVA, J. A. A. da. A concordância verbal de terceira pessoa do plural no português popular do Brasil: um panorama sociolinguístico de três comunidades do interior do Estado da Bahia. 323 p. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal da Bahia, Instituto de Letras, Salvador, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).