03. A LINGUAGEM POP EM NIRVANA: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA, RESISTÊNCIA POLÍTICA E TRÂNSITO DE FORMAS

João Luiz Teixeira de Brito

Resumo


Este artigo busca refletir sobre o uso da linguagem pop estrangeira como linha de fuga na formação identitária nacional, a partir de exemplos historiográficos recontados em colagens disjuntivas que remetem à intermitência das imagens vagalumescas propostas por George Didi-Huberman em A sobrevivência dos vaga-lumes (2011). A pesquisa tem como objeto de estudo literário principal a obra da banda de rock americana Nirvana, de meados da década de 1990, e suas aproximações com outras vertentes da estética pop, particularmente a obra plástica de Andy Warhol e a literatura dos escritores beat William Burroughs e Allen Ginsberg. Também, no aspecto que chamaremos trânsito de formas, a imagem dos vaga-lumes retorna para corporificar o processo de emergências das formas da linguagem pop. Os vaga-lumes de Didi-Huberman são retrabalhados aqui em paralelo com a imagem proposta da geladeira, para construir um debate sobre a natureza ambivalente do discurso artístico em questão – a ambivalência e a intermitência de um discurso que é amplamente hegemônico e difusamente subversivo – e para ressaltar, novamente o aspecto político inerente a sua poética. Desse debate, é também o corpo que emerge, ambos, como tópico das canções de Kurt Cobain, dos enquadramentos de Andy Warhol e das linhas de William Burroughs e Allen Ginsberg; e como forma última de resistência política. O artigo dialoga também com o pensamento de Michel Foucault, David Harvey, Stuart Hall e Gilles Deleuze, entre outros.

Palavras-chave


Nirvana; A sobrevivência dos vaga-lumes; Pop

Texto completo:

PDF

Referências


ASPINALL, Sarah. Modern Masters: Andy Warhol. Direção Sarah Aspinall. Produção Sarah Aspinall e Lucy Van Beek. Duração 60 min. BBC one. 2010.

BURROUGHS, William. Naked Lunch. Grove Press. New York. 2001.

COBAIN, Kurt. Nevermind. Los Angeles. Geffen Records. 1991. 1 disco sonoro.

______. In Utero. Santa Monica. DGC Records. 1993. 1 disco sonoro.

DELEUZE, Gilles. Platão e o simulacro. In:___. Lógica do sentido. Trad. Luiz Roberto Salinas. São Paulo: Perspectiva; EDUSP, 2015. p. 259-271.

DELEUZE, Gilles, GUATARRI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, vol. 1. Trad. Aurélio Guerra Neto, Celia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos vaga-lume / Georges Didi-Huberman; Vera Casa Nova, Márcia Arbex, tradução; Consuelo Salomé, revisão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, Vozes, 1987.

GINSBERG, Allen. Howl, Kaddish and other poems. Penguin Classics. 2009.

HALL, Stuart. A identidade cultura na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HARVEY, D. A Condição Pós-Moderna: Uma Pesquisa sobre as origens da Mudança Cultural. 17ª Edição. SP: Ed. Loyola. Maio de 2008.

KELLNER, Douglas. A Cultura da mídia – estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno / Douglas Kellner; tradução de Ivone Castilho Benedetti. - - Bauru, SP: EDUSC, 2001.

KORICHI, Mériam. Andy Warhol. Tradução de Celso Mauro Paciornik. – Porto Alegre, RS: L&PM, 2011.

MERQUIOR, José Guilherme. Formalismo e tradição moderna: o problema da arte na crise da cultura / José Guilherme Merquior. – 2. ed. – São Paulo: É Realizações. 2015.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX: o espírito do tempo: tradução de Maura Ribeiro Sardinha. 3. Ed. Rio de Janeiro, Forense-Universiária, 1975.

SAVAGE, John. Kurt Cobain (1993). Rock's Backpages Library. Audio. 22 July, 1993.

VERÓNICA Decide Morrer faz show de lançamento de seu 1º disco em SP. O Estado de São Paulo. São Paulo. 21 de julho de 2016. Disponível em: http://istoe.com.br/veronica-decide-morrer-faz-show-de-lancamento-de-seu-1o-disco-em-sp/. Acesso em 15 de agosto de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo