Eça e Os Maias: para pensar Portugal

Fabio da Fonseca Moreira

Resumo


Este artigo apresenta uma análise do romance Os Maias, de Eça de Queirós, assim como a sua atuação como escritor e intelectual comprometido com a transformação da sociedade portuguesa. Assumindo contornos mais sutis, mas seguindo na linha de ação crítica e pedagógica determinada no programa cultural da Geração de 70, sem, contudo, abrir mão de sua marcante ironia, Eça ampliará, de forma muito particular, o seu projeto para modernizar a sociedade portuguesa. Se em outras obras, como O Crime do Padre Amaro e O Primo Basílio, sua arte combativa já era exercida, no romance Os Maias uma aguda observação dos fatos será adensada por meio do seu processo de escrita.


Palavras-chave


Literatura Séc. XIX; Eça de Queirós; Os Maias

Texto completo:

PDF

Referências


FRANÇA, José-Augusto. O Romantismo em Portugal. Lisboa: Livros Horizonte, 1993.

JAMESON, Fredric. Modernidade Singular: Ensaios para uma ontologia do presente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

LIMA, Isabel Pires de. AS MÁSCARAS DO DESENGANO - Para Uma Abordagem Sociológica de «Os Maias», de Eça de Queirós. Lisboa: Editorial Caminho, 1987.

___________________. Eça e Os Maias: pensar-se pensando Portugal. Colóquio / Letras, nº 103, maio de 1988.

MARGATO, Izabel. Tiranias da Modernidade. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.

QUEIROZ, Eça de. "Carta a Teófilo Braga". Correspondência (1978), p. 50.

_______________. Os Maias. São Paulo: Ediouro, 2000.

_______________. Uma campanha alegre. Lisboa: Livros do Brasil, 2000.

SARAIVA, António José. As ideias de Eça de Queirós. Lisboa: Bertrand, 1992.

SARAIVA, António José & LOPES, Oscar. História da Literatura Portuguesa. Porto: Porto Editora, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).