AO FINDAR A BRINCADEIRA, O QUE REVELAM OS DADOS DO ALiB SOBRE ÁREAS DIALETAIS?

LEANDRO Almeida dos Santos

Resumo


Neste artigo são apresentados alguns aspectos sobre delimitação de áreas dialetais. Desse modo, este trabalho investiga as respostas dos informantes do Atlas Linguístico do Brasil – ALiB - para a questão 161 do Questionário Semântico-Lexical do ALiB, “Como se chama a brincadeira em que uma criança, com os olhos vendados, tenta pegar as outras?” (COMITE NACIONAL..2001, p.34). A metodologia utilizada pautou-se em: a) leitura de textos teóricos acerca do tema em questão; b) formação do corpus; e c) análise do corpus, objetivando identificar as variações diatópicas, a partir do cotejo com estudos semelhantes, a saber: Ribeiro (2012), Portilho (2013) e Santos (2016), os quais se utilizaram dos dados do ALiB, em especial, o campo semântico dos jogos e diversões infantis, no intuito de testar, hoje, com base em dados empíricos, a divisão dialetal brasileira, datada de 1953.  As análises buscam identificar os itens encontrados nas elocuções dos informantes e verificar o que essas escolhas revelam, com vistas a apurar a vitalidade da divisão dialetal de Nascentes (1953). Vale ressaltar a contribuição do trabalho, catalogar a diversidade lexical da língua falada no país, em busca de oferecer, se possível, um traçado atual dos limites dos falares brasileiros, embora seja uma tarefa árdua, mas que vem sendo perseguida pelos dialetólogos do país.

Palavras-chave


áreas dialetais; jogos e brincadeiras; léxico.

Texto completo:

PDF

Referências


AURÉLIO, Renato Pereira. Os falares da Bahia e do Espírito Santo: implicações sob os aspectos dialetológicos. 2012. 128f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.

BARBADINHO NETO, Raimundo (Org.). Estudos filológicos: volume dedicado à memória de Antenor Nascentes. Rio de Janeiro, Academia Brasileira de Letras, 2003. v. I. 748 p. ilus. (Coleção Antônio de Morais Silva, Estudos de Língua Portuguesa).

COMITÊ NACIONAL DO PROJETO ALiB: Atlas Lingüístico do Brasil: Questionários. Londrina: UEL, 2001.

MOTA, Jacyra Andrade. Áreas dialetais brasileiras. In: Quinhentos anos de história Linguística do Brasil. CARDOSO, Suzana Alice M.; MOTA, Jacyra Andrade; MATTOS e SILVA, Rosa Virginia. (Org.) Salvador: Secretaria de Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006. p. 319-357.

NASCENTES, Antenor. Études dialectologiques du Brésil. ORBIS - Bulletin International de Documentat ion Linguistique, Louvain , t. 2, n. 2, p. 438-444, 1953a.

NASCENTES, Antenor. O linguajar carioca. 2.ed. Completamente refundida. Rio de Janeiro. Organização Simões, 1953b.

PORTILHO, Danyelle Almeida Saraiva. O falar amazônico: uma análise da proposta de Nascentes (1953) a partir de dados do Projeto ALiB. 2013. 155p. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2013.

RIBEIRO, Silvana Soares Costa. Brinquedos e brincadeiras infantis na área do “Falar Baiano”. 2012. 752f. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal da Bahia, Salvador.

ROMANO, V. P. Em busca de falares a partir de áreas lexicais no centro-sul do Brasil. 2015. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

SANTOS, Leandro Almeida dos. Brincando pelos caminhos do Falar Fluminense. 197f. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura) Universidade Federal da Bahia, Salvador.

ZÁGARI, M. R. L.; RIBEIRO, J. ; PASSINI, J.; GAIO, A. Esboço de um Atlas Lingüístico de Minas Gerais - v. 1. 1ed. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1977. v. 1. 244 p.

ZÁGARI, M. R. L. Os Falares Mineiros: Esboço de um Atlas Lingüístico de Minas Gerais. In: Vanderci de Andrade Aguilera. (org.). A Geolingüística no Brasil - trilhas seguidas, caminhos a percorrer. 1ed. Londrina: Editora da Universidade Estadual de Londrina, 2005, v. 1, p. 45-72.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Inventário. ISSN: 1679-1347

Instituto de Letras. Rua Barão de Jeremoabo, nº 147 CEP: 40170-115
Campus Universitário Ondina, Salvador-BA
Telefone Geral: 55-71-3283-6256

Créditos da capa: Leila França Rocha (vencedora de concurso realizado no ILUFBA em 2002).