A disseminação do lundu “Isto é bom”: um estudo comparativo de gravações e de registros gráficos

Luciano André da Silva Almeida Carôso

Resumo


O presente trabalho discute a disseminação do lundu “Isto é Bom”, de Xisto Bahia, através de estudo comparativo das quadras utilizadas e de seus contornos melódicos, em gravações e registros gráficos de 15 versões consultadas, das 21 até o momento localizadas. Após a apresentação de alguns dados históricos, e tomando-se como premissa provocativa a afirmação feita por José Ramos Tinhorão, em seu livro "As Origens da Canção Urbana" de que Xisto teria se apropriado de quadra lisboeta setecentista (Se eu brigar com meus amores / Não se intrometa ninguém / Que acabados os arrufos / Ou eu vou ou ela vem); propõe metodologia que agrupa as versões de tal maneira que se pode tirar conclusões acerca do que muda e do que permanece inalterado. Isto leva a reflexões em torno de estilo e conteúdo (� luz de Bruno Nettl) a partir dos processos de transmissão e mudança musical. O ator e músico Xisto de Paula Bahia (Salvador-BA, 5 de setembro de 1841 – Caxambu-MG, 30 de outubro de 1894) foi personalidade marcante no teatro e na música do Brasil. Considerado por muitos como um dos pioneiros mais importantes da Música Popular Brasileira, os reflexos de sua obra chegam até os nossos dias.

Palavras-chave


Xisto Bahia, Isto é Bom, Transmissão Oral, Estudos Comparativos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ICTUS Music Journal Versão digital do Periódico ICTUS
ISSN: 1516-2737 | e-ISSN: 2238-6599

2020 © ICTUS Music Journal