APROVEITAMENTO IMEDIATO DA ÁGUA DE CHUVA

Cícero Onofre de Andrade Neto

Resumo


A água de chuva será, em breve, valorizada como a água mais segura que se obterá para consumo humano e com boa qualidade para diversos fins, necessitando, em muitos casos, apenas de tratamento simplificado para purificação. No Brasil, o uso de água de chuva ocorre há séculos, mas a captação imediata no meio urbano, visando ao aproveitamento em usos diversos, ainda é insipiente, e no meio rural somente na última década é que a construção de cisternas vem se disseminando para abastecimento difuso de água. Existe amplo conhecimento tecnológico internacional e nacional que deve ser utilizado de forma mais competente para o aproveitamento imediato da água de chuva, sobretudo para maximizar a relação benefício/custo, aumentar a segurança sanitária dos sistemas e assegurar a qualidade da água. Este trabalho procura mostrar as vantagens do aproveitamento imediato da água de chuva para diversos usos, apresenta e comenta avanços, e avalia e discute a segurança da água e a proteção sanitária do sistema de captação e armazenamento. Destaca a atenção que deve ser dispensada aos primeiros milímetros da cada chuva, pois estes têm grande influência sobre a qualidade da água captada em cisternas; já que esta quantidade é, geralmente, suficiente para lavar a atmosfera e a superfície de captação. Se esta água for descartada, o restante da água da chuva tem boa qualidade para diversos usos, e existem dispositivos simples, de baixo custo e de eficiência comprovada para o descarte automático das águas do primeiro milímetro de cada chuva. Quanto às ações de governo das últimas décadas para implantação de cisternas no meio rural no Brasil, é necessário avançar no desenvolvimento e adequação da tecnologia, e manter ou acelerar o ritmo das ações, mas sem perder as diretrizes políticas conquistadas, voltadas para a justiça social e a cidadania.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17565/gesta.v1i1.7106

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X