CONSERVAÇÃO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES UNIVERSITÁRIAS. FATORES QUE INFLUENCIAM O CONSUMO E CRITÉRIOS PARA SUA AVALIAÇÃO: COMPARAÇÃO DE TRÊS UNIDADES DA UFBA.

Tainá Rosário Santana Cazaes, Raynara Guimarães Cruz, Asher Kiperstok First, Maria do Socorro Gonçalves

Resumo


Programas de conservação de água em universidades esbarram em diversas dificuldades, que vão desde a avaliação do desempenho destas até a implementação de medidas necessárias para a sua melhoria. Tal avaliação se refere às características das edificações e das comunidades usuárias, bem como à qualidade da gestão, as quais agregam uma grande quantidade de variáveis que dificultam a comparação do desempenho dessas instituições, seja entre elas, seja entre as Unidades que as conformam. Este trabalho procura contribuir para o esclarecimento dos fatores que concorrem para interpretar o consumo de água de prédios universitários, a partir de estudos desenvolvidos na Universidade Federal da Bahia. As Unidades acadêmicas praticam consumos específicos bastante díspares, que precisam ser melhor entendidos para que se possam orientar ações de conservação de água. A percepção do consumo de água por parte da comunidade usuária é apontada como um dos principais fatores que definem o desempenho de uma edificação. Neste trabalho, se compara o consumo de três Unidades, considerando-se alguns fatores, como a adoção de medidas que permitem uma melhor percepção do consumo, assim como as semelhanças e diferenças entre elas. Observaram-se consumos per capita entre 9 e 16 L/hab.dia, o que em si já aponta para a necessidade de uma reflexão sobre os tradicionais parâmetros de consumo utilizados no projeto destes tipos de edificações.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gesta.v7i7.28085

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X