BIODEGRADABILIDADE ANAERÓBIA DE EFLUENTE DO PROCESSAMENTO DA ACEROLA VERDE

Andreza Carla Lopes André, Rodrigo Torres Silva, Kessia Caroline Dantas da Silva, Paula Tereza de Souza e Silva, Miriam Cleide Cavalcante de Amorim

Resumo


A agroindústria aceroleira gera efluentes com elevada carga orgânica, sendo, portanto, um poluidor em potencial. O objetivo deste estudo é avaliar a biodegradabilidade anaeróbia desse efluente em termos da demanda química de oxigênio e produção de metano. Os ensaios tiveram duração de 288h e foram realizados por meio de frascos-reatores, utilizando tratamentos com diferentes concentrações de DQO (4g O2.L-1, 8g O2.L-1 e 12g O2.L-1) e uma de biomassa de lodo anaeróbio (5 g.L-1). Efetuaram-se análises de DQO, ácidos graxos voláteis, pH e alcalinidade. Todos os tratamentos proporcionaram remoções de DQO acima de 65%. Houve relação entre a concentração de DQO aplicada e as condições ambientais dos frascos-reatores, em que quanto maior a DQO, mais inadequadas tornaram-se as condições ambientais. O efluente com 4g O2.L-1 obteve o maior rendimento de metano (42,5%), bem como a maior taxa de produção de metano (102 mL de CH4.g-1 de DQOrem). Os ensaios de biodegradabilidade mostraram que o efluente estudado apresentou boa degradabilidade anaeróbia, principalmente para a remoção de carga orgânica.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9771/gesta.v7i7.28070

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X