Qualidade microbiológica das águas de chuva em cisternas da área rural do município de Inhambupe, no semiárido baiano e seus fatores intervenientes

Nara de Melo Dantas Da Silva

Resumo


No intuito de atender à demanda hídrica das populações rurais do semiárido baiano, o aproveitamento da água de chuva mostra-se como uma alternativa de abastecimento de água. A preocupação relaciona-se à preservação da qualidade microbiológica da água coletada. O objetivo foi caracterizar a qualidade microbiológica da água de chuva armazenada em cisternas localizadas na área rural de Inhambupe-Bahia, e investigar os principais fatores intervenientes da sua qualidade. A metodologia utilizada foi iniciada pelo levantamento de dados sobre as cisternas e o Sistema de Aproveitamento de Água de Chuva (SAAC), seguido por coleta de amostras e análise da qualidade microbiológica de água de chuvas armazenada em cisternas e seus fatores intervenientes, acompanhados da formulação do questionário de observação, do trabalho de campo e, por último, da análise fatorial. Foi identificada a existência de 707 cisternas em funcionamento com as seguintes variáveis: falta de desvio das primeiras águas (6%), utilização de balde para a retirada da água do interior da cisterna (47%), existência de árvores próximas ao telhado (93%), criação de galinhas (70%) e a não realização de limpeza do interior da cisterna (36%). A interação dos fatores: utilização de balde com corda para retirada de água, limpeza da cisterna em tempo inadequado e a falta de desvio das primeiras águas com a presença de árvores próximas ao telhado, foram os responsáveis pela geração dos efeitos significativos sobrea variável resposta ‘coliformes termotolerantes’, levando em consideração um nível de confiança de 10%. Para a variável resposta bactérias heterotróficas, foram os fatores “árvores próximas ao telhado” e a interação dos fatores “balde com corda com árvores próximas ao telhado e com falta de desvio das primeiras águas”. Para gerar efeito de melhoria na qualidade microbiológica da água, deve ocorrer de forma correta a realização do manejo reduzindo a influência dos fatores que influenciam sobre a qualidade da água de chuva coletada e armazenada. Como os valores dos bioindicadores analisados ultrapassam o recomendado para consumo humano, esta água não deve ser consumida sem um tratamento prévio, embora apresente qualidade excelente ou muito boa para o uso de contato direto.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17565/gesta.v3i2.15101

E-mail:  revista.gesta@ufba.br

https://www.facebook.com/Revista.Gesta1/

ISSN Eletrônico: 2317-563X